Increva-se para receber conteúdo novo por email

Problemas intestinais e suas causas

Por Chris kresser

Síndrome do Intestino Irritável e suas causas – Parte 2

Síndrome do Intestino Irritável (SII) afeta 15 por cento da população dos EUA e é a segunda principal causa de absenteísmo no trabalho (atrás apenas do resfriado comum), mas os tratamentos convencionais são ineficazes porque eles só tratam os sintomas. Descubra o que realmente causa a SII para que você possa começar bem e ficar bem sem medicamentos desnecessários.

gut prblem

# 1: Pequeno supercrescimento bacteriano intestinal (SIBO)

 

 SIBO é uma condição caracterizada por crescimento anormal de bactérias no intestino delgado. Um estudo relatou que até 84 por cento dos pacientes com SII tem SIBO e que os pacientes com SII eram 26 vezes mais propensos a ter SIBO do que os pacientes do grupo controle. (1)

Resultados de estudos posteriores examinaram a associação entre SIBO e Síndrome do Intestino Irritável (SII) e forneceram resultados mistos. Isto é em parte porque não existe atualmente um método de teste padrão de ouro aceito de forma consistente para SIBO, e as variadas técnicas de estudo.

No entanto, há outras evidências para apoiar a ideia de que SIBO desempenha um papel causal na Síndrome do Intestino Irritável (SII) para pelo menos alguns pacientes. Os antibióticos que são usados ​​para tratar-SIBO tais como neomicina-rifaximina foram demonstrados eficazes no tratamento da SII. Por exemplo, em um estudo controlado randomizado (RCT), o tratamento com rifaximina durante 10 dias, resultou na melhora dos sintomas que durou até 10 semanas em pacientes com SII. (2) Uma recente meta-análise de cinco estudos mostraram que rifaximina é eficaz para a melhora global dos sintomas de SII e mais propensa a reduzir o inchaço do que um placebo. (3)


Siga o Caio Fleury no YouTube —>>> Clique AQUI


 # 2: Perturbação da flora intestinal “disbiose”.

 

A flora intestinal humana é uma comunidade complexa de mais de 100 trilhões de micro-organismos que influenciam a fisiologia, metabolismo, nutrição e função imunológica. O rompimento da barreira intestinal tem sido associada com condições gastrointestinais como doenças inflamatória do intestino, bem como uma ampla variedade de condições inflamatórias extra intestinais como a diabetes e a obesidade. 

Estudos têm mostrado que até 83 por cento dos doentes com Síndrome do Intestino Irritável (SII) tem biomarcadores anormais de fezes, e 73 por cento tem disbiose intestinal (ou seja, uma flora intestinal perturbada). (4) 

Numerosos estudos também descobriram que ambos os prebióticos e probióticos, que modulam a microbiota intestinal, podem ser eficazes para o tratamento da SII. (5) Além disso, a dieta baixa em FODMAP, que restringe certos carboidratos que alimentam as bactérias intestinais, beneficiou pacientes com a síndrome (6)

# 3: Aumento da permeabilidade intestinal (“leaky gut”)

 

Uma das funções primárias do trato gastrointestinal é a de servir como um sistema de barreira que impede agentes patogênicos, partículas de alimentos não digeridos, e outras substâncias indesejáveis ​​de entrar no corpo.

A Síndrome do Intestino Irritável (SII) tem sido associada com um aumento da permeabilidade da barreira intestinal nos vários estudos, que pode ser modulada por uma citocina chamada interleucina-22 (IL-22) que é conhecida por desempenhar um papel na regulação da permeabilidade do intestino. (7, 8) Note-se que esta é uma mudança estrutural no intestino, o que sugere que a SII não é sempre uma desordem funcional.

# 4: infecções no intestino

 

O intestino humano é naturalmente resistente à infecção por bactérias patogênicas, graças ao ácido produzido no estômago que é concebido para matar invasores potenciais. No entanto, muitos aspectos da dieta e estilo de vida modernos, tais como o estresse crônico, má alimentação e drogas ácido-supressoras tem comprometido esse sistema de defesa.

Um certo número de infecções intestinais foram associadas a Síndrome do Intestino Irritável (SII). Por exemplo, intoxicação alimentar causada por bactérias Campylobacter leva a crônica e persistente SII em 10 por cento dos casos. (9) Parasitas intestinais como Blastocystis hominis, Dientamoebafragilis e Giardia lamblia podem ser relativamente comuns, mas muitas vezes não são diagnosticadas como causas dessa síndrome, mesmo no mundo desenvolvido. (10)

 # 5: Sensibilidade não-celíaca ao Glúten e outras intolerâncias alimentares

 

Sensibilidade não-celíaca ao Glúten (NCGS) é uma reação ao glúten que não é autoimune (doença celíaca) ou alérgica (alergia ao trigo). Apesar das afirmações contrárias da mídia popular, NCGS é uma condição legítima e potencialmente grave. Na verdade, eu recentemente argumentei que ela pode ser um desafio maior de saúde pública do que a própria doença celíaca. 

Os pacientes com esta condição geralmente apresentam sintomas como gases, flatulência, dor abdominal e alterações na frequência das fezes e sua consistência que são indistinguíveis pelo diagnóstico da Síndrome do Intestino Irritável (SII). Eles também apresentam muitas vezes com sintomas extra intestinais como “mente menos aguçada” e fadiga, que são comuns entre os sofredores da síndrome.

Intolerâncias a outros alimentos como produtos lácteos, ovos, amendoim e frutos do mar também são comuns entre os sofredores da SII. Estes podem ser verdadeiras alergias alimentares (mediada por IgE) ou intolerâncias mais leves (mediadas IgG ou IgA).

Um recente grande revisão de 73 estudos individuais, concluiu que a alergias alimentares e intolerância, incluindo reações ao trigo e glúten deve ser considerada como uma potencial patologia subjacente para Síndrome do Intestino Irritável (SII). (11)

Na minha própria experiência clínica, descobri que tanto a sensibilidade ao glúten /trigo e outras intolerâncias alimentares são fatores que contribuem de maneira extremamente comum a SII. É importante ressaltar que, em muitos casos, as intolerâncias alimentares estão sendo causadas por algumas das outras patologias que já discutidas neste artigo. Dito de outra forma, tanto a Síndrome do Intestino Irritável (SII) quanto intolerâncias alimentares são geralmente sintomas de causas mais profundas, como SIBO e infecções intestinais.

Síntese e recomendações

 

Como já demonstrado neste artigo, a abordagem convencional para SII é ineficaz na melhor das hipóteses, e potencialmente perigosa na pior das hipóteses. Simplesmente suprimir os sintomas da SII com drogas, sem abordar as suas causas subjacentes, condena o paciente a uma vida de medicação desnecessária, sofrimento e frustração.

 A boa notícia é que agora temos uma ideia muito melhor do que provoca a Síndrome do Intestino Irritável (SII). É possível obter excelentes resultados quando essas causas são abordadas corretamente. Na minha prática, tenho visto pessoas com doenças crônicas, intratáveis desta síndrome por mais de 20 anos, que foram quase totalmente recuperadas depois de tratarem seus problemas de intestino subjacentes e corrigirem suas dietas.

Se você foi diagnosticado com o a síndrome, eu recomendo encontrar um praticante de medicina funcional para trabalhar com que pode ser identificado e tratar os fatores causais no seu caso. Você não tem que aceitar um diagnóstico de SII, ou passar a vida lutando contra isso.

Banner1

E para finalizar, uma ótima notícia… Eu vou te dar de presente meu novo ebook sobre dieta low-carb e cetogênica, aproveite para baixar GRÁTIS agora —>>> clique AQUI

Quer também ficar por dentro de tudo que está acontecendo de melhor no mundo da nutrição? Aproveite AGORA para seguir meu canal do youtube —–>>> Clique AQUI para seguir meu canal do youtube.

Outra notícia boa… Você está querendo emagrecer, mas está tendo dificuldades?? Então faça o coaching de emagrecimento para perder peso com tranquilidade de um jeito que você nunca tentou antes.

Me mande uma mensagem e agende uma consulta o quanto antes 😉

                          (11) 97533-8525                               

     Atendimento personalizado – Até 10x no cartão

Inscreva-se para receber artigos como este por e-mail!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

×