Pesquisa do IBGE confirma alto consumo de carboidratos no Brasil

Todo mundo sabe que o brasileiro come um pãozinho no café da manhã, um pãozinho ou um pedaço de bolo no lanche da tarde e está sempre consumido alguma massa, independente de qual forma, macarrão, lasanha, canelone, nhoque, pizza e assim vai… Arroz e feijão refogado com óleo vegetal processado acompanhado de um refrigerante ou suco e uma sobremesa para completar o almoço.

Esta não é nenhuma surpresa, mas agora temos os dados do IBGE para confirmar. De acordo com um estudo publicado em 2005, os alimentos que o brasileiro mais consome são o “arroz beneficiado, feijão e a farinha de trigo”. O estudo ainda revelou que o consumo de trigo é bem elevado comparado ao consumo de arroz. Má noticia para os brasileiros!

O brasileiro consome de 54 a 58% das calorias diárias na forma de carboidratos, sendo estes os principais, de acordo com outra pesquisa do IBGE realizada em 2008-2009. Segundo os mesmos dados, o brasileiro, em média, consome mais de 300g de carboidratos por dia, mas indivíduos obesos estão acima desta média.

pao-frances

Apesar de ser crítico com relação ao alto consumo de carboidratos, é importante notar que a qualidade do alimento com carboidrato consumido é tão importante quanto a quantidade consumida. Neste sentido, o trigo é um alimento extremamente prejudicial à saúde e muito mais rico em carboidratos do que o arroz e o feijão, por exemplo. No entanto, se vocês seguem a dieta Primal que suportamos no site, a mesma sugere que sejam evitados os alimentos citados acima e que o trigo seja completamente eliminado. Se você é um atleta ou tolera bem carboidratos você pode ponderar sobre a ideia de consumir um pouco de tubérculos, ou até mesmo um pouco de arroz branco, mas sem refogá-lo com óleo vegetal processado, é claro! Intolerância, neste caso, seria observada quando não há mudanças significativas nos marcadores sanguíneos como por exemplo colesterol HDL/triglicérides, níveis de glicose sanguínea, insulina e  quando não há ganho de peso ou piora na distribuição do peso.

Leguminosas como o feijão, se consumidas, de preferência deve ser feito com bastante moderação assim como queijos, por exemplo, que apesar de possuírem valor nutricional alto, podem ser prejudiciais para algumas pessoas e contribuir para o ganho de peso. Apesar disso, é possível encontrar estes nutrientes em alimentos como nozes, carnes e diversos vegetais sem estar sujeito aos efeitos colaterais associados às lectinas presentes, aos problemas digestivos, danos no intestino e ao risco de consumir um volume excessivo de carboidratos. Devido ao alto teor de proteína e fibras solúveis, a carga glicêmica das leguminosas é baixa, em geral, o que previne o rápido aumento da glicose sanguínea.

Os princípios da dieta primal, além de se basearem na ciência, baseiam-se nos alimentos consumidos por nossos ancestrais durante período paleolítico (antes da revolução da agricultura) e por populações primitivas estudadas, o que implica no consumo baixo de carboidratos. Com certeza, baixo comparado aos padrões de consumo atual dos brasileiros e outras sociedades modernas.  Acredito que 100 gramas de carboidratos é uma quantidade boa para muitas pessoas, algumas podem se beneficiar com um consumo um pouco menor, já outras, o oposto.

Com estas informações em mente, segue uma pequena reportagem sobre a pesquisa realizada pelo IBGE em 2005:

 

Érica Santana
Repórter da Agência Brasil

Brasília – O estudo Indicadores Agropecuários 1996-2003, divulgado nessa terça-feira (15) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), confirmou o alto consumo de carboidratos no Brasil. Com base em uma tabela de disponibilidade, o IBGE calculou a quantidade per capita de carboidratos, lipídios e proteínas ingeridas pelos brasileiros tomando como base os três produtos mais consumidos pela população: arroz beneficiado, feijão e farinha de trigo.

7

De acordo com o coordenador de Agropecuária do instituto, Carlos Alberto Lauria, os dados revelam a preferência nacional por carboidratos. “O que o estudo aponta é que existe uma disponibilidade de carboidratos bem maior que de proteínas. Na realidade, o brasileiro tem uma tendência muito grande para alimentos como o pão, massas e macarrão. A tendência é mais para carboidratos que para outros produtos como proteína”.

Para chegar a essa conclusão, o IBGE transformou a produção dos grãos em um fator de conversão para carboidratos. “Não existe um levantamento específico para a quantidade de carboidratos, apenas uma conversão da produção de trigo, por exemplo, para a quantidade de carboidratos que aquele produto proporciona”, explicou Lauria. O estudo revelou ainda que a disponibilidade interna per capita de farinha de trigo é bastante elevada, comparada ao consumo de arroz, alimento mais consumido no mundo.

7 Comentários

  1. Priscila Amaral disse:

    Olá! Acompanho o site há um bom tempo e adoro as postagens! Sempre muito esclarecedoras. Porém, essa, foi um pouco mais do que as outras pela parte: “Acredito que 100 gramas de carboidratos é uma quantidade boa para muitas pessoas, algumas podem se beneficiar com um consumo um pouco menor, já outras, o oposto.”
    Eu e meus pais estamos fazendo a primal há mais de 3 meses. Os dois perderam bastante peso e eu (que vinha de um longo período de restrição calórica) ganhei. E não foi apenas massa… ganhei gordura tbm. Minha SOP está melhorando e é meu principal objetivo. Mas, lógico, se perdesse peso seria melhor ainda. Já fiz de td e geralmente meu consumo de carbs e proteínas é bem baixo. Faço musculação 3x por semana e comecei a fazer o protocolo de Tabata nos outros dias (parecido com HIIT). Faço JI tbm. Já tentei maneirar achando q podia ser o exagero e ñ adiantou. E ainda tive q tomar corticoides, e aí q piorou td. Eu sou a única q desde o início da dieta ganhei gordura. Estou mt satisfeita com a melhora da saúde, mas poderia ser benéfico para mim um aumento de carbs?
    Muito obrigada e parabéns pelo blog! E pelas receitinhas!!! Adoooooro todas!

    • Caio Fleury disse:

      Oi Priscila! Obrigado pelo seu comentário, fico feliz que goste do blog!!

      Se adicionar um pouco de carboidratos melhorar seus marcadores sanguíneos, sua composição corporal e faz você se sentir melhor sim, caso contrário não.

      Abraços!

      • Priscila Amaral disse:

        Ok, obrigada! Meus marcadores nunca estiveram melhores. Vou fazer o teste só pelo %BF msm. Depois conto aqui como foi.

        Obrigada pelas informações no blog, bom final de ano e continuem escrevendo!

  2. Brad Baker disse:

    Por que voces falam so de arroz? E as batatas e mandioca?… os carboidratos mais saudavel e natural de nossos ancestrais.

  3. Luiz disse:

    Vi um casal muito parecido com vocês em Santos, nas primeiras semanas do ano, perto do Zé do Côco. Eram vocês?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *