Increva-se para receber conteúdo novo por email

Parei de perder peso com a low-carb, e agora??

Caio, parei de perder peso com a low-carb, e agora?? Constantemente sou bombardeado por perguntas do tipo.

Weight-Loss-Plateau

Por que não consigo perder mais peso com a low-carb, ou por que cheguei em um platô com a dieta.

Não há uma resposta simples e genérica para todos e cada caso é individual requer investigação e possui uma causa subjacente diferente. No entanto, muitas das possíveis causas eu abordo constantemente no blog e na Rádio Primal Brasil e um novo estudo que será abordado em detalhes abaixo pode fornecer a resposta que muita gente procura, além de elucidar bastante esta questão, mesmo para quem não precisa mais perder peso.  Embora com certa frequência eu aborde esta causa específica, ela não se encontra sempre explícita no blog, portanto, por ora, você deveria se interessar bastante por este post, se está com dificuldades de atingir seus objetivos. Leia com atenção.

O estudo foi utilizado erroneamente (para variar, não reportam transparentemente a ciência) pela mídia americana como prova do fracasso de dietas baixas em carboidratos.

Por Dr. Bill Lagakos.

Uma breve explicação do estudo de Hall et al., ou seja, a guerra dos carboidratos. 

“Exame de mudanças agudas no balanço calórico, reduzindo seletivamente a ingestão de calorias de um ou outro macronutriente (gordura ou carboidratos).”

Intro (1/2): por favor, não leia este estudo com as manchetes da mídia em sua mente, pois elas são muito desonestas e ingênuas. Nem sequer preste qualquer atenção para o título do estudo, resumo, introdução e discussão. De forma alguma este estudo colocou a dieta low carb contra a parede, independentemente do que você já viu on-line ou em outro lugar. Ok??

Intro (2/2): se você quiser aprender uma lição (ou fazer uma reciclagem) em nutrição avançada, confira as Informações Complementares deste artigo: na formulação de seus modelos matemáticos, Dr. Salão revisou cada via bioquímica única e variável fisiológica já inventada. Leia, pela ciência.

Dr, este estudo de modo algum derruba low carb (é uma conclusão ridícula e impossível). Mas foi bem interessante e, provavelmente, incluiu uma avaliação precisa e abrangente do balanço energético.

Esboço do estudo: Participantes seguiram a dieta de base por alguns dias, em seguida foram randomizados para uma dieta de baixo teor de gordura ou Low Carb por 6 dias. Após estes 6 dias, houve um período de “washout”, um período sem intervenção, para eliminar o efeito do primiero tratamento de 6 dias, para em seguida os participantes que receberam a low-carb receberem a low-fat por mais 6 dias e vice versa. Tudo em um estado de constante obcervação pelos pesquisadores.

tabela lagakos low-carb

Por favor, pare de reclamar sobre a composição das dietas de intervenção! Elas não foram projetados para imitar uma dieta de baixo teor de gordura mais possível de ser seguida no mundo real, ou uma dieta cetogênica. Elas foram projetadas com um objetivo muito específico em mente: reduzir seletivamente as calorias de um macronutriente, sem aumentar quaisquer outros, de modo que quaisquer efeitos pudessem ser atribuídos à redução seletiva dos referidos macronutrientes. Este estudo nos deixou com um déficit calórico de 30%. O que é bom para o propósito do estudo.

Passo 1. Construindo a dieta de baixa gordura.

Reduziram a gordura de 109 gramas (981 kcal) para 17 gramas (153 kcal) , pois isso é praticamente a maior redução possível, e foi reduzido 828 kcal de gorduras neste grupo

Lembre-se, foi um déficit calórico de 30%:  828 de 2740 = 30%.

Teoricamente, eles poderiam ter testado zero de carboidratos na dieta Low Carb, mas não foi o caso.

Passo 2. Construindo a dieta baixa em carboidratos.

Há 2 limites que o passo 1 estabelece: 1) 30% restrição de energia a partir um macronutriente; e 2)

828 kcal que precisam ser eliminados em ambos os grupos low-carb e baixo em gordura. 840 kcal de carboidratos = 210 gramas. Assim, o grupo de baixo teor de carbs passou de 350 gramas de carboidratos na linha de base para 140 durante os 6 dias de estudo controlado, uma redução de 210 gramas (840 kcal). Está muito longe de ser cetogênica (ver Tabela 4), mas é  reduzida em carboidratos

Proteínas e calorias foram mantidas constantes.

Gordura não foi alterada no grupo da dieta reduzida em carboidratos.Carboidratos não foram alterados no grupo da dieta baixa em gordura. Por que os pesquisadores não montaram uma dieta cetogênica?

Porque 350 gramas de carboidratos que os participantes cunsumiam antes era muito alta em carboidratos = 1400 kcal, e matematicamente não é possível reduzir as calorias de gordura em mais de 981 kcal,  pois este foi o total de gorduras que os participantes consumiam antes de começar o estudo (consumiam uma dieta muito alta em cabroidratos, mas não tão alta em gordura). Se eles reduzissem os carboidratos, as proteínas do grupo da dieta baixa em gordura teriam que ser reduzidas para manter as dietas isocalóricas (iguais em calorias – própósito do estudo) … e isso teria sido um fator de confusão principal.
tabela bill 2

Este estudo foi  rigorosamente controlado “calorias para dentro,” e rigorosamente medido “calorias para fora.”

O gasto energético diminuiu em ambos os grupos (como esperado).

As alterações na composição corporal entre ambos os grupos de participantes não são dignas de menção, mas se quiser olhar.

tabela bill 3

As críticas mais frequentes:

17g Gordura  por dia é um teor de gordura incrivelmente baixo (8% de calorias) e portanto não é compatível com a realidade cotidiana das pessoas. 

Eu concordo, mas seja o que for! Minha posição é que independentemente de como os autores e jornalistas  distorceram o estudo, este estudo não foi desenhado para testar dietas na vida real (embora a dieta reduzida em carboidratos pode ser compaível com o que muita gente come). Dietas Ad libitum, ou seja, dietas na vida real, são completamente diferente das dietas rigorosamente controladas. Ponto final.

Este estudo comparou uma dieta super baixa em gorduras (pouco praticável na realidade) com uma dieta moderada em carboidratos mais comum em praticantes de dietas, especialmente a paleo (classificada erroneamente pela mídia como uma dieta low-carb)

Mais uma vez, eu não me importo [no âmbito deste projeto de estudo]! Esta foi a única maneira que os cientistas podiam fazer, matematicamente… por isso, se esta é a sua crítica, acho que você está alvejando tanto os autores ou jornalistas, e não o estudo real –  Um título melhor pode ter sido: “Exame de mudanças agudas no balanço calórico, reduzindo seletivamente ingestão de calorias de um macronutriente”.

A Maior falha real é que eles não atingiram as reduções de insulina que eles estavam almejando. Insulina em jejum e o peptidio C não foram diferentes entre os grupos, e apenas quando C-péptido de 24h  foi avaliado fizeram atingir significância estatística. Talvez uma dieta low-carb de verdade teria feito isso, mas como mencionado acima, eles diminuíram o máximo que eles podiam dadas as restrições do desenho do estudo. Talvez uma maior duração do estudo pudesse ter feito isso, mas: 1) este já foi um estudo muito caro; e 2) você não pode realmente manter as pessoas trancadas em uma câmara metabólica por muito mais tempo … por isso eles tiveram que sacrificar a precisão, e eu não acho que Dr. Salão ficaria muito feliz com isso.tabela bill 4

Algumas considerações minhas:

O que este estudo claramente não teve o intuito de demonstrar foi como os diferentes macronutrientes e as diferentes dietas afetam a perda de peso e a composição corporal em uma dieta hipercalórica, superalimentação, ou em um cenário de um aumento calórico de indivíduos resistêntes a insulina, que já seguem uma dieta hipocalórica e passaram a comer mais calorias seguindo estas duas vertentes opostas de consumo de macronutrientes (low-carb ou low-fat).  Tampouco lidou com muitas outras questões, como a questão da sustentabilidade de cada uma destas dietas a longo prazo (as evidências são abuntantes para a superioridade da low-carb no mais importante dos quesitos).

Como Dr. Bill salientou bem no começo do post, 140g de carboidratos não é low-carb e está longe de ser low-carb para quem tem resistência à insulina. A diferença entre 25g de carboidratos e 140g pode ser estrondosa e a dieta baixa em gordura não tinha muitas calorias para baixar na forma de gordura.

Resumidamente, sobre os motivos de você poder não estar perdendomais peso com a dieta low-carb, eles podem ser os seguintes:

  • Não precisa perder mais peso e possui metas irrealistas com base em modelos de biquine que são geneticamente favorecidas para realizarem este trabalho.
  • Não reduziu carboidratos o suficiente para obter os benefícios metabólicos e de perda de peso com a low-carb.
  • Está consumindo calorias demais, tanto na forma de proteínas e/ou gorduras.
  • Está com distúrbios metabólicos/hormonais severos, com resistência à insulina/leptina e/ou síndrome metabólica, e portanto, possivelmente nem mesmo práticas de jejum longas e recorrentes (potencialmente prejudiciais) estão te levando ao corpo de modelo.

De fato, muita gente já tentou de tudo e realmente se enquadra no quarto cenário, entretanto, uma peça importante do quebra cabeça para diversas pessoas é o cenário 1 e 2. Sendo o segundo mais comum em indivíduos que não entendem muito bem a low-carb e o primeiro mais comum em quem ignora, estando ciente ou não, o aspécto da termodinâmica (+ ou – calorias para perda de peso) que se aplica a qualquer dieta, ou sujeitos que possuem compulsões alimentares subjacentes (proteínas alimentares possuem um papel importante aqui) que são carregadas ao longo da vida e transferidas de uma dieta para outra. Enfim, estes são pontos muito importantes a serem trabalhados por você e seu profissional de saúde.

banner livro

Outra notícia boa… Você está querendo emagrecer mas está tendo dificuldades?? Então faça o coaching de emagrecimento para perder peso com tranquilidade de um jeito que você nunca tentou antes.

Me mande uma mensagem e agende uma consulta o quanto antes 😉


 

                                                      Atendimento personalizado – Até 10x no cartão

Inscreva-se para receber artigos como este por e-mail!

1 Comentário

  1. Mandou bem demais viu, fiquei de boa com a postagem. Sempre procuro coisas que se destaca assim sem rodeios e esse site me surpreendeu. Valeu demais!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *