Increva-se para receber conteúdo novo por email

Novos blogs em língua portuguesa

Vou apresentá-los um novo site em língua portuguesa muito recomendado. O autor do site é o  nutricionista João Gabriel Marques que conta também com uma equipe de nutricionistas para escreverem artigos sobre nutrição com bastante respaldo científico. Segue abaixo um trecho de um de seus artigos:

 Calorias: um auto-experimento de carboidratos versus gorduras

 

“O conceito de vantagem metabólica oferece suporte à hipótese de que dietas com redução na quantidade de carboidratos (dietas low-carb) são mais vantajosas que dietas com redução de gordura (dietas low-fat) para a perda de peso. Seria possível testar essa teoria na prática? Nesse post começarei a falar sobre um pequeno experimento ao qual me submeti para testar e comparar os efeitos de duas dietas hipercalóricas diferentes: uma rica em carboidratos e outra rica em gorduras.

No primeiro post dessa série foram introduzidos os conceitos principais para se entender o que significam as calorias e como elas são utilizadas e interpretadas pelo paradigma atual da nutrição. No segundo post vimos que, pelo menos teoricamente, o conceito de vantagem metabólica poderia explicar porque dietas low-carb seriam mais vantajosas que dietas low-fat para a perda de peso.

No último post foram apresentados diversos estudos controlados que de fato demonstraram melhores resultados para perda de peso e gordura corporal a favor de dietas low-carb. E isso parece ser verdade quando o consumo de calorias dos indivíduos com dietas low-carb é igual, ou até mesmo ligeiramente superior, ao dos indivíduos que consumiram dietas low-fat. Considerando essas evidências, veremos, a partir desse experimento, que tipo de resultado dietas hipercalóricas – low-carb ou low-fat – podem gerar sobre o ganho de peso”

Para continuar a leitura visite seu blog:

http://cienciadanutricao.blogspot.com.br/2014/02/calorias-um-auto-experimento-de.html#more

Outro excelente blog novo, mas não tão novo assim é o lipidofobia, autoria do médico Dr. José Carlos Peixoto. Ótimo profissional, autor do site uma outra visão, existente há muitos anos, todavia, agora com a criação de seu novo blog, promete desmascarar com mais frequência os mitos propagados pela indústria de alimentos junto com o governo americano, demonstrando por meio da ciência da nutrição a verdade nua e crua em meio ao caos de desinformação. Rico conteúdo! Segue abaixo um trecho de um de seus artigos:

 Quem ganhava com alimentos sem gordura?

manteiga-leite-ovos-brancos-as-bebidas_3319326

 A manteiga faz mal

Um mito alimentado pela indústria dos alimentos saudáveis

 

O prestigiado jornal The Guardian tinha publicado em setembro de 2013 um instigante artigo sobre os interesses que poderiam estar por trás da cantilena contra o consumo de gordura saturada.

Bem antes da divulgação recente que liberou esse tipo de alimento das responsabilidades sobre doença cardíaca e obesidade, um conjunto de vozes importantes estavam tentando mostrar para as pessoas que a gordura saturada não era vilã de forma alguma.

O artigo cita o dr. Malcolm Kendrick, autor do livro  The Great Cholesterol Con (A Grande Mentira do Colesterol), “não há uma molécula de evidências que sugiram que o consumo de gordura saturada causa a obesidade”. Ou seja a gordura saturada não é causa de obesidade, e pelo contrário, pela sua eficiência em saciar o apetite, pode mesmo é combater  o excesso alimentar.

O The Guardian faz uma colocação que não se via em grandes vozes da mídia: porque os agentes de saúde pública ficaram tantos anos instruindo a população a evitar seu consumo?

Orientações de saúde ganham autoridade através da infinita repetição. Mas seríamos ingênuos se não percebemos que essas advertências foi utilizada de forma eficaz por parte de fabricantes e processadores de alimentos. Isso nos levou para longe de alimentos minimamennte processados como a manteiga, e nos levou para coisas opostas como a margarina.

Para continuar a leitura visite seu blog:  http://www.lipidofobia.blogspot.com.br

E para finalizar, uma ótima notícia… Eu vou te dar de presente meu novo ebook sobre dieta low-carb e cetogênica, aproveite para baixar GRÁTIS agora —>>> clique AQUI

Quer também ficar por dentro de tudo que está acontecendo de melhor no mundo da nutrição? Aproveite AGORA para seguir meu canal do youtube —–>>> Clique AQUI para seguir meu canal do youtube.

Outra notícia boa… Você está querendo emagrecer, mas está tendo dificuldades?? Então faça o coaching de emagrecimento para perder peso com tranquilidade de um jeito que você nunca tentou antes.

Me mande uma mensagem e agende uma consulta o quanto antes 😉

                          (11) 97533-8525                               

     Atendimento personalizado – Até 10x no cartão

Inscreva-se para receber artigos como este por e-mail!

3 Comentários

  1. Paula Santos disse:

    Esse cara do primeiro blog teve variação de 2Kg em 3 semanas. Exatamente a mesma quantidade de glicogênio que a pessoa mantém por causa dos carboidratos. Ou seja, isso que ele perdeu foi apenas glicogênio. Se qualquer pessoa cortar carbos, mesmo comendo mais calorias, em 4 dias estará uns 3kg mais leve, mas em 1 mês vai acabar ganhando peso (caso continue comendo demais) e, quando voltar a comer carboidratos, terá de volta aqueles 3kg que ‘perdi’ inicialmente – ficando até mais pesado!
    Desculpem, mas isso não é ciência.

    • Primeiramente, obrigado pela divulgação, Caio e Bruna!

      Paula Santos, entendo sua observação, que a princípio faz sentido. Não sei se você leu o texto por completo, mas nele eu deixo claro que, antes de iniciar a dieta hipercalórica low-carb, passei por uma fase de restrição de carboidratos exatamente para ter uma depleção dos estoques de glicogênio. É claro que não dá para saber exatamente o quanto eu depletei de glicogênio, porque não há nenhum método direto ou indireto para essa mensuração. Mesmo que parte do peso que eu perdi tenha sido decorrente da redução dos estoques de glicogênio, é praticamente impossível que todo o peso tenha sido isso (mesmo considerando o peso de água que também é perdido quando se reduz os estoques de glicogênio). Para corroborar isso, a redução na minha circunferência da cintura e na minha circunferência do quadril só podem ser indicativo de perda de gordura corporal, e nada além disso. Essas duas medidas de circunferência são basicamente realizadas, em qualquer estudo ou cenário clínico, para se avaliar ganho ou peso de gordura corporal.

      Você pode até questionar a veracidade dos fatos que relatei no post mencionado. Qualquer um tem esse direito. Mas não pode questionar a lógica fisiológica da metodologia que empreguei exatamente para contornar esse seu questionamento.

      Além disso, o blog se chama Ciência da Nutrição, mas em nenhum momento disse que o experimento era algo científico — porque não é. O que não invalida os resultados. Dê uma rápida busca no Google e procure pelo experimento semelhante do Sam Feltham, que consumiu mais de 5000 kcal e obteve resultados muito semelhantes.

      Da próxima vez, seria interessante comentar no próprio blog, porque daí outras pessoas podem também dar opiniões. Obrigado.

  2. carla storari disse:

    Adorei o post!! meu corpo mudou muito depois que comecei essa alimentação! achei que ia engordar, mas realmente o peso diminuiu ….estou me sentindo muito mais saciada !!
    obrigado por postar essas informações valiosas!! bjs e sucesso!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Oi, eu sou o Caio Fleury, autor do blogSolicite atendimento personalizado em até 10x no cartão pelo meu Whatsapp ou cadastre seu email grátis, para ganhar meu novo e-book.

Junte-se a milhares de pessoas, ganhe motivação, exclusividade e controle da sua vida

Você está com dificuldades para perder peso?
Faça um atendimento personalizado em até 10x no cartão!

Converse comigo pelo Whatsapp: (11) 97533-8525

Atenção: Para receber o meu e-book GRATUITO sobre dieta low carb e Cetogênica, cadastre seu email abaixo!

×