Increva-se para receber conteúdo novo por email

Como o açúcar pode viciar seu paladar

Man hopes he's not spotted snagging a donut.

Por: Mark Sisson

 

Como o açúcar e uma dieta ruim pode viciar seu paladar?

Após a mudança para uma alimentação low-carb/ paleo, as pessoas muitas vezes compartilham observações curiosas sobre a mudança no gosto dos alimentos. Depois de uma vida comendo açúcar, grãos, sabores artificiais e óleos hidrogenados, as pessoas estão frequentemente se surpreendendo com a forma como seus paladares reagem a uma dieta com baixo teor de açúcar, com base em alimentos inteiros.

Não acontece durante a noite, mas acontece. Muitos dizem que o efeito da dieta no paladar evolui ao longo de várias semanas até um dia que percebem que o paladar melhorou muito. Ou seja, o dia que deixaram de depender de doces.

Em seguida, estas pessoas olham através do corredor do trabalho e observam seus colegas de trabalho devorando sacos de salgadinhos ou sugando até a última gota as bebidas açucaradas.

É uma das inesperadas vantagens da dieta Primal/ paleo, aprender e reaprender os detalhes dos sabores dos diversos alimentos inteiros que existem. A experiência não reflete apenas uma mudança psicológica. A adaptação do gosto é uma coisa real, mensurável.

Consumo do açúcar e o paladar

 

Um estudo de 2016 publicado no American Journal of Clinical Nutrition examinou o efeito da redução da ingestão de açúcar simples em um grupo de homens e mulheres “saudáveis”. O estudo dividiu os participantes em dois grupos, com um grupo comendo a uma dieta com baixo teor de açúcar e o outro grupo continuando a comer a dieta habitual com alto teor de açúcar. Após 3 meses, ambos os grupos foram deixados à vontade para comer.

Todos os meses durante o estudo, os participantes foram convidados a avaliar a doçura e a “gostosura” dos pudins de baunilha e bebidas de framboesa que variaram em concentração de açúcar.

Após o terceiro mês de dieta, o grupo com baixo teor de açúcar classificou o pudim em torno de 40% mais doce do que o grupo controle, independentemente da quantidade de açúcar do pudim. A conclusão foi simples: “as mudanças no consumo de açúcares simples influenciam a intensidade do gosto doce percebido”. O que significa que, quanto menos açúcar você come no longo prazo, mais você saboreia a doçura dos alimentos, portanto, eles ficam mais saborosos mesmo com menos açúcar.

As conclusões gerais são importantes, pois indicam a inevitabilidade da mudança no paladar, mas também demonstram o tempo que esse ajuste pode levar. Os pesquisadores descobriram que o grupo com baixo teor de açúcar levou em média dois meses para que o paladar dos participantes pudesse reconhecer qualquer diferença de doçura e prazer – e ainda mais um mês para que o sabor da doçura se intensificasse.

Moral da história? Um pouco de paciência renderá dividendos à longo prazo.

Os fatores por trás do gosto

 

O paladar do ser humano foi projetado para obter respostas de alimentação adequadas em um ambiente evolutivo – e não batatas fritas e refrigerante.

Se o seu corpo foi inundado com alimentos processados densos em açúcar nos últimos anos/ décadas, você pode estar um pouco confuso quanto ao que realmente quer provar em uma refeição. Reprogramar seu paladar não é tarefa pequena para o seu cérebro e seu sistema digestivo neste caso.

Felizmente, tudo o que é necessário para você é manter uma alimentação sem açúcar e baixa em carboidratos. Dito isto, é útil como sempre entender o contexto da sua vida.

Obesidade

 

Um estudo de 2012 publicado no British Medical Journal descobriu que crianças obesas desenvolvem uma insensibilidade ao gosto. Os pesquisadores examinaram cerca de 200 crianças com idade entre 6 e 18 anos, metade das quais eram de peso normal e metade delas foram classificadas como obesas. Cada um dos participantes foi convidado a colocar 22 tiras de sabor na língua, simulando cada um dos cinco níveis de gosto em diferentes intensidades.

As crianças obesas consideraram significativamente mais difícil diferenciar entre as diferentes sensações do sabor e eram particularmente insensíveis aos gostos salgados e amargos. Crianças que eram obesas também deram classificações de intensidade mais baixas aos alimentos doces, o que significa que eles precisavam de mais açúcar nos alimentos para alcançar a mesma sensação de doçura.

A mensagem para levar pra casa é simples: quanto mais peso ganharmos, menos provável é que possamos desfrutar dos alimentos que comemos ou reconhecermos melhor a quantidade de açúcar ou sal para ter uma boa experiência gustativa. Pode haver mais tempo de atraso no rejuvenescimento da sensibilidade ao gosto total dos alimentos nos obesos, mas a vitória deve chegar.

Atenção na hora de comer

 

Além das adaptações físicas que ocorrem ao longo do tempo, podemos apreciar o poder da atenção na experiência sensorial. Percebemos ou confundimos nossos sentidos com distrações nocivas e assistimos jornal enquanto comemos? Ou trazemos nossa plena consciência para a refeição?

As pesquisas sobre a conscientização alimentar mostram que práticas conscientes podem ser suficientemente poderosas para ajudar a resolver até mesmo os problemas dos comedores indisciplinados crônicos.  Basta comer comida de verdade e seguir um grupo low-carb.  Não descobriu o que é comida de verdade ainda?

Obrigado por ler!  Qual foi sua experiência na mudança do seu paladar quando adotou uma dieta low-carb? Conte nos comentários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *