Increva-se para receber conteúdo novo por email

Recentemente, resolvi dar uma pesquisada sobre como se encontra o “status” das gorduras, principalmente a saturada, colesterol e a questão das doenças cardíacas dentro da mídia internacional, que de certa maneira servem de indicativo para a tendência no Brasil alguns anos ou décadas depois, portanto são muito importantes para quem quer ter uma noção de quando o progresso científico no meio da nutrição irá alcançar países de terceiro mundo e o público em geral (tudo acontece nos EUA antes de chegar aqui no Brasil, somos sempre atrasados e marionetes dos países de primeiro mundo)  e me deparei com alguns artigos memoráveis e programas de TV, dois dos quais me chamaram muita atenção pelo nível de popularidade e alcance.

CBS Sunday Morning

oleo-coco-beneficios-saude

Um programa de TV da rede de jornais prestigiada como o da CBS Sunday Morning, que cita nomes como Gary Taubes, em um lado da discussão, cientista defensor da dieta Paleo/Primal, citando estudos a favor do consumo de gorduras saturadas o colesterol.

Ele é o autor de diversos livros famosos como: Nobel Dreams (1987), (Sonhos Nobel) Bad Science: The Short Life and Weird Times of Cold Fusion (1993) (Ciência Ruim: A vida curta e tempos estranhos de fusão fria) e Good Calories, Bad Calories (2007) (Calorias Boas, Calorias Más).Seu livroWhy We Get Fat: And What to Do About It (Porque engordamos: e o que fazer sobre isso) foi lançado em dezembro de 2010.

garyGary estudou Física Aplicada na Universidade de Harvard e Engenharia Aeroespacial na Faculdade de Stanford (1978). Recebeu um diploma de mestre em jornalismo pela universidade de Columbia em 1981 e desde então tem trabalhado para a famosa revista Discover e Science, tendo escrito diversos artigos para esta e outras revistas. Originalmente focado em questões físicas, seu interesse nos últimos 10 anos tem mudado para medicina e nutrição.

Do outro lado da discussão estava Gordon Tomaselli, presidente da American Heart Association, (Associação Americana do Coração).  Dr Gordon Tomaselli usa argumentos baseados em  poucas pesquisas e informações desconexas, de maneira incoerente com a maioria dos estudos já conduzidos sobre o assunto.

Resumidamente, os pontos positivos da entrevista que estão a favor da ciência foram:

  • Críticas foram lançadas às autoridades de saúde americanas, com um dos participantes do programa dizendo que a luta contra a gordura já tem durado anos nos EUA sendo que antigamente, por séculos, a gordura saturada e alimentos como ovos, bacon e laticínios representavam um café da manha saudável, até que em 1970 um comitê no senado sobre nutrição passou a criticar a gordura saturada.
  • Gary Taubes argumenta contra Gordon Tomaselli que ele está simplesmente indo em direção contrária à ciência a respeito da gordura saturada, dizendo “ Os estudos nunca provaram que ela é prejudicial, muito pelo contrário, experimentos controlados tem demonstrado o contrário, que a gordura animal faz parte de uma dieta saudável” e complementa “é  completamente anticonsensual, uma dieta baixa em gordura, a ideia de que não devemos comer manteiga, de que deveríamos consumir iogurte diet ao invés de integral”.
  • Taubes cita um estudo publicado em 2010 nos Annals of Internal Medicine, que demonstra uma dieta com mais gordura e menos carboidratos foi melhor na redução do colesterol total do que uma alta em carboidratos.
  • Jennifer McLagen, autora do livro  Fat: An Appreciation of a Misunderstood Ingredient, with Recipes (Gordura: Uma apreciação de um ingrediente incompreendido, com Receitas),
    disse que o aumento do consumo de carboidratos e a oposição das autoridades a gordura nas ultimas décadas não tem tornado as pessoas mais saudáveis, mas sim o contrario.
  • O chefe de cozinha Chris Cosentino dono de um restaurante de São Francisco disse com muito entusiasmo que na família dele, cozinhar com gordura é uma tradição e que sua vó e bisavó viveram até os 98, 99 anos respectivamente, insinuando que não temos motivo para desistir das gorduras.

Pontos negativos

  • Gordon Tomaselli acredita que não comer gorduras é melhor para saúde citando poucos estudos  de maneira incoerente com a maioria dos estudos já conduzidos sobre o assunto.
  • A American Heart Association ainda promove um consumo de até 10% das calorias consumidas como gorduras saturadas, o que está em desacordo com  o que as pesquisas mais confiáveis e compreensivas sobre o assunto que demonstram, comprovando que elas são saudáveis e essenciais para a saúde, assim como no nosso passado evolutivo como espécie, quando a gordura saturada representava em média de 11.3 a 17% das calorias, de acordo com os melhores estudos sobre o assunto conduzidos por Dr Cordain, renomeado cientista da Universidade de Stanford nos EUA.
  • A American Heart não distingue as gorduras, quanto a quais são boas para consumo e quais não são.
  • É triste como alguém de posição, com um cargo tão importante e prestigioso estar tão à parte da ciência.
  • A conclusão do entrevistador do programa é tendenciosa “ muitos nutricionistas agora acreditam que a gordura não é tão ruim assim!”, ao invés de algo como, muitos nutricionistas competentes acreditam que a gordura é boa e não ruim.

Entrevista com o Dr Oz:

ScreenShot2012-12-13at14937PM

Outra entrevista recente que chamou mais a minha atenção, por ser com certeza mais impactante e ter mais implicações para a população em geral, foi com o famoso cardiologista  Stephen T. Sinatra e o nutricionista Jonny Bowden. Eles  participaram do programa The Dr. Oz Show, nos EUA, o programa de saúde mais popular dos EUA apresentado por Dr. Oz, um dos médicos mais populares dos EUA, que além de apresentar o programa apresenta um programa na rádio Sirius XM e participa de diversos programas populares junto com outras celebridades. A entrevista na íntegra (em inglês) pode ser conferida no site Brasil Paleo.

O título do programa foi  “The man who sais everything I know about colesterol is wrong “ (O homem que diz que todo que sei sobre o colesterol é errado) que já da para ter uma boa noção sobre o que se trata!

Esta entrevista foi chocante para muitos pesquisadores e nutricionistas bem informados nos EUA que não imaginavam este acontecimento, sendo que a poucos anos atrás esta ideia era rigorosamente rejeitada pela mídia que promove o interesse de grandes corporações, indústria dos alimentos processados e farmacêuticas.

O mais surpreendente foi o fato do Dr. Oz finalmente passar a abraçar os conceitos apoiados pelos entrevistados, que são suportados pela ciência e até mesmo descreveu este programa como sendo seu programa mais importante sobre o colesterol, sendo que costuma usar bastante a velha retórica popular, sem embasamento científico no seu programa (consumir colesterol faz mal e altos níveis de colesterol é ruim para a saúde). Isso significa que existe um grande potencial para uma mudança na percepção da mídia em relação ao papel do colesterol, que talvez tenha bastante repercussão para os profissionais de saúde que assistiram o programa, para a sociedade Americana em geral e para o resto do mundo. Quem diria que o famoso Dr. Oz  admitiria diversas vezes em seu programa que ele esteve errado todos esses anos a respeito do colesterol?

Stephen T. Sinatra  é um cardiologista, nutricionista e especialista em medicina holística e anti-envelhecimento e já publicou diversos artigos científicos sobre o colesterol, sua área de maior atuação. Jonny Bowden tem um mestrado em psicologia, é doutor em nutrição e autor de 12 livros, incluindo o best seller “The 150 Healthiest Foods on Earth   (Os 150 alimentos mais saudáveis do mundo) , “Living Low Carb” (Vivendo com pouco carboidrato) e “The Most Effective Natural Cures on Earth (A cura natural mais eficiente do mundo).

Eles disseram no programa que um dos principais mitos da sociedade atual é acreditar que o colesterol causa ataque cardíaco. Dr. Sinatra diz baseando-se em evidências que o colesterol alto não causa doenças cardíacas, pois mais da metade das pessoas que morrem por doenças cardíacas não tem colesterol alto e metade das pessoas que tem colesterol alto têm corações normais! Os Drs. suportam sua opinião com base em mais de 200 citações de estudos científicos e segundo eles:

Nós certamente não somos os primeiros profissionais da saúde a chamar o mito do colesterol de O MAIOR ESQUEMA JÁ PREPARADO PARA O PÚBLICO AMERICANO, mas nós sentimos que apresentamos o caso de maneira mais clara e acessível.

A fobia do colesterol é usada como base para muitas recomendações dietéticas das maiores organizações de saúde nos EUA e da USDA por mais de 30 anos, resultando em uma epidemia de obesidade e diabetes que está diretamente relacionado as mudança no padrão alimentar da sociedade americana para o consumo de mais carboidratos como os grãos e o açúcar. Mitos como o medo de gordura pois ela “entope suas artérias” surgiram junto com a tendência do maior consumo de carboidratos promovidos por estas instituições de saúde que são fortemente influenciadas pelas industrias dos alimentos, sendo suportado por argumentos baseados na má interpretação de algumas poucas pesquisas. Em outras palavras dizer que o consumo de gordura e o colesterol alto causa doenças cardíacas é como dizer que a terra era quadrada a 500 na idade média, ou seja uma das maiores lendas já contadas. Existe um número muito grande de evidências científicas de que o consumo de colesterol não está relacionado com maiores níveis de colesterol sanguíneo, muito menos de que altos níveis sanguíneos causará entupimento das artérias.

heart_doctor

Esta lenda é promovida fortemente pela indústria farmacêutica para que drogas para a diminuição do colesterol sejam usadas como prevenção de doenças cardíacas. As políticas de muitas clínicas e consultórios médicos nos EUA já chegaram ao ponto de recomendarem drogas para a redução do colesterol para mulheres com 30 ou 40 anos, sendo que alguns médicos estão prescrevendo drogas até mesmo para crianças! Até que ponto a ignorância e a ganância pode levar as pessoas!

As pessoas não deveriam entrar em pânico ao verem que seu colesterol está alto, pois ele pode ser nocivo ou não dependendo do tamanho das lipoproteínas, por isso que os profissionais mais competentes analisam os outros marcadores sanguíneos.  Elas realmente não deveriam aceitar as sugestões de seus médicos de tomar drogas para abaixar o colesterol sem considerarem  os marcadores sanguíneos como o colesterol HDL “bom”, triglicérides, colesterol VLDL (lipoproteínas de muita baixa densidade), níveis de insulina, colesterol em jejum, etc. Não deveriam aceitar passivamente a recomendação do uso dessas drogas sem tomarem medidas que realmente irão fazer a diferença, sem gerar outros riscos a saúde.

Dr. Sinatra e Dr Jonny Bowden deixam a mensagem clara para os telespectadores de que o colesterol total é um número praticamente sem significado e que para ter informações significantes é preciso observá-los mais atentamente: Triglicérides, LDL (incluindo o tamanho das partículas) e o colesterol “bom” HDL. Se seguirmos a tradicional recomendação dos principais órgãos de saúde americanos e brasileiros de consumir menos gordura e mais carboidratos como os grãos, a probabilidade é muito alta de que os níveis de triglicérides e de colesterol nocivo VLDL aumentará, junto com o a gordura visceral (abdominal) aumentando o risco do desenvolvimento de doenças cardíacas.

Dr. Oz apesar de concordar plenamente com os convidados, ainda tentou por meio de truques visuais passar a mensagem de que o colesterol LDL está relacionado ao entupimento das artérias (talvez para disfarçar tudo que vem falando errado sobre o colesterol com sua retórica dos últimos programas sobre o assunto, assim disfarçando sua ignorância ou farsa), apesar de concordar com o fato de que o colesterol LDL por si só não significa nada e de concordar com tudo que Dr. Sinatra e Dr Jonny Bowden disseram.

Dr. Oz disse no programa que não poder usar o colesterol total como uma referência pode causar um problema para os médicos que usam este número como base para acessar os riscos do desenvolvimento de doenças cardíacas e é claro prescrever as drogas para reduzir o colesterol (estatinas são lucrativas para os médicos e fáceis de serem prescrevidas).  Dr. Sinatra e o Dr. Bowden argumentam em seguida “o segundo erro do colesterol é acreditar que estatinas são seguras e irão prolongar a vida”. Segundo Dr. Sinatra:

 Estatinas são drogas antiinflamatórias, elas podem afinar o sangue e ocorre que isso diminui o colesterol, mas este é o problema. As estatinas diminuem o colesterol, mas o colesterol não é a causa raiz das doenças cardíacas, é a inflamação. Estas estatinas tem efeitos colaterais tremendos, nós temos que nos livrar dos remédios de estatina.

A causa raiz das doenças cardíacas é a inflamação, a inflamação causa esta doença e o que causa inflamação? É o quanto nós pesamos, o que colocamos no nosso corpo e o açúcar é o inimigo. Quando você tem açúcar no seu sangue ele causa uma placa, o estresse oxidativo. Esta placa atinge o alimento e o açúcar causa toda aquele material grudento que prende aos vasos sanguíneos, que cria uma enorme resposta da insulina.

A inflamação é uma das principais causas do desenvolvimento de doenças cardíacas e pode facilmente ser tratada por meio da alimentação, enquanto que drogas como a estatina geram diversos efeitos colaterais e proporcionam muito mais riscos do que benefícios, que são, na maioria das vezes, subestimados pelos médicos, pois não atribuem os efeitos colaterais a droga, ou os ignoram. Em suas palavras:

  Não há dúvidas de que a estatina fará com que seus últimos dias na terra sejam muito menos agradáveis do que seriam caso não a utilizasse.

Os autores concluem que o uso de estatina não é seguro, podendo levar ao desenvolvimento de diabetes, câncer e outros problemas de saúde e não é eficaz para muitas pessoas.

Conclusão

Dr.Oz é uma das autoridades médicas mais populares dos EUA sendo fonte de informações para milhões de pessoas que desejam melhor saúde e qualidade de vida. Sendo assim, o fato dele ter admitido que o colesterol total não significa nada pode servir como incentivo para que as pessoas não tenham medo do colesterol e tomem decisões  mais conscientes para melhorar a saúde, passando a se alimentarem de maneira melhor para que melhorem os marcadores sanguíneos que realmente importam.

Não ficar obcecado com colesterol, sabendo ou não porque, abre portas para que as pessoas possam consumir mais alimentos ricos em colesterol que são essenciais a saúde.

Mais estudos do que o suficiente já comprovaram que somente o colesterol alto não significa nada se não for observado em detalhes. As causas verdadeiras do desenvolvimento de doenças cardíacas muitas vezes são ignoradas pelas pessoas e subjugadas por muitos médicos que dão muito mais importância ao mito do colesterol total, por ignorância ou conveniência.

O colesterol total é um número praticamente sem importância. Para ter informação de valor sobre os números de colesterol você tem que observar com detalhes os números de: HDL, LDL (incluindo o tamanho das partículas) e triglicérides.

  • Metade das pessoas que desenvolvem doenças cardíacas tem níveis de colesterol considerados“normais”.
  • O consumo de colesterol não está relacionado ao colesterol sanguíneo total.
  • O consumo de alimentos ricos em colesterol é essencial para a saúde.
  • Manteiga, ovos, peixes e carnes orgânicas beneficiam a saúde.
  • O consumo de alimentos ricos em colesterol é essencial e mães e gestantes devem ter um cuido especial para assegurarem de que estão se alimentando e alimentando seus filhos com estes alimentos nutricionalmente densos.
  • O desenvolvimento de doenças cardíacas esta relacionado a altos níveis de inflamação e não de colesterol.
  • O consumo de açúcar e carboidratos de alta carga glicêmica como os grãos estão relacionados a altos níveis de inflamação e ao desenvolvimento de doenças cardíacas, e não o consumo de gordura ou colesterol.

Sugestões para quem quer otimizar os marcadores sanguíneos:

  • Consumir os grupos de alimentos que compõe a dieta dos nossos ancestrais como vegetais, carnes, peixes e ovos. Uma dieta rica em gorduras em geral não é apenas saudável, mas é a chave para a perda de peso sem esforço, um sistema imunológico saudável e uma vida cheia de energia. A gordura presente na dieta não causa a obesidade e comer menos gordura é a pior estratégia para eliminar a gordura corporal.
  • Obtenha bastante gordura Omega 3 de fontes animais de boa qualidade como peixes de água fria e ovos e carnes orgânicas. Inclua gorduras complementares como óleo de peixe, óleo de coco, azeite extra virgem, abacates e azeite de linhaça.
  • Reduza o seu consumo de Omega 6 como margarina e óleos vegetais industrializados, para balancear a sua proporção entre Omega 3 e Omega 6.
  • Elimine o consumo de grãos e açúcar da sua dieta. Esta medida terá um efeito positivo não apenas no seu colesterol, mas também reduz o seu risco em desenvolver diabetes, doenças cardíacas e muitas outras doenças crônicas.
  • Otimize seus níveis de vitamina D ao se expor adequadamente ao sol pelo menos 15 minutos por dia e a tomar suplementos de vitamina D.
  • Exercite-se diariamente e é claro não fume e beba álcool somente com muita moderação.

Para mais informações, no meu livro A DIETA DOS NOSSOS ANCESTRAIS eu reuni alguns dos principais estudos que demonstram como a dieta dos nossos ancestrais gera uma melhora nos marcadores sanguíneos mais do que com outras dietas como a dieta mediterrânea e a dieta criada pela FDA (órgão americano que regulamenta os alimentos) para diabéticos e informações sobre como melhorar seus marcadores sanguíneos na prática do dia a dia.

 

Referências

Ann Intern Med. 2010 Aug 3;153(3):147-57. doi: 10.1059/0003-4819-153-3-201008030-00005.

Weight and metabolic outcomes after 2 years on a low-carbohydrate versus low-fat diet: a randomized trial.

Foster GDWyatt HRHill JOMakris APRosenbaum DLBrill CStein RIMohammed BSMiller BRader DJ,Zemel BWadden TATenhave TNewcomb CWKlein S.

http://healthybodydaily.com/dr-oz-heart-health/cholesterol-does-not-cause-heart-disease/#sthash.39RJSlSz.dpuf omega 6

http://en.wikipedia.org/wiki/Dr_oz

http://en.wikipedia.org/wiki/Stephen_Sinatra

http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/20679559?dopt=Abstract

banner livro

2 Comentários

  1. Alessandra disse:

    Hoje fui a uma consulta com meu médico que segue a linha low carb, no entanto ele me receitou óleo de prímula para combater efeitos da TPM. O conteúdo desse óleo não é muito exagerado em Omega 6? Será que devo realmente tomar?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *