Por que voltamos a ganhar peso?

quadrado incial

Por Mark Sisson

É uma história milenar. As pessoas tem uma enorme quantidade de peso a perder e se livrar através de uma combinação de dieta, exercícios e modificações de estilo de vida. E elas se sentem fantásticas. Elas têm energia durante dias, a pele brilha, elas exalam confiança recém descoberta e elas experimentam outros milagres pequenos. Muitos de vocês viveram isso. Mas então algo acontece: a perda de peso para, ou pior, ela inverte. Elas podem manter o peso sob controle desde que a sua dieta seja inflexível sem pular nenhuma treino, mas assim que escorregar, mesmo que seja apenas um pouco, elas ganham peso. E quando ganham, elas parecem ganhá-lo mais rápido e mais facilmente do que deveria ser normal. Isso simplesmente não parece justo.

O que esta acontecendo aqui?

mark porque engordamos

Tudo se resume a forma de como ganhamos e perdemos peso como seres humanos.

Veja, há dois tipos de ganho de gordura: hipertrófica e hiperplásica. Hipertrofia do tecido adiposo é quando as células de gordura existentes ficam maiores. Hiperplasia do tecido adiposo é quando novas células de gordura são criadas.

A grande maioria das células de gordura são criadas e estabelecidas durante a infância e adolescência. Durante a primeira infância e de idades de 9 a 13 parecem ser especialmente fases cruciais para hiperplasia adiposa. Após a adolescência, você está preso com o número de células de gordura que seu corpo fez. Existem algumas diferenças regionais em como os adultos ganham gordura corporal, com a superalimentação e criação de novas células de gordura na parte inferior do corpo, mas não gordura corporal superior, porém a maior parte do número de células de gordura que uma pessoa tem é fixa durante a adolescência e apenas aumenta em adultos com obesidade. Se as células de gordura existentes estão cheias até o limite e não há outro lugar para colocar a energia nova, o corpo irá criar novas células.

Na verdade, a hiperplasia adiposa em um adulto é um recurso de segurança. Por mais que eu odeie a idéia de adicionar inteiramente novas células de gordura em nosso corpo, elas são depósitos para o excesso de energia. Se você não tem as células de gordura extra, você vai começar a depositar gordura no fígado e em torno dos outros órgãos – basicamente, qualquer lugar. Isso pode ter efeitos desastrosos sobre a nossa saúde. Os estudos em animais mostram que a indução da hiperplasia do tecido adiposo para o excesso de energia alivia os sintomas da diabetes tipo 2 em ratos obesos, enquanto a obesidade hipertrófica (células de gordura maiores) está associada com a diabetes de tipo 2. A esse respeito, hiperplasia atrasa o desenvolvimento da esteatose hepática, diabetes e outras doenças decorrentes do acúmulo de nutrientes severamente excessivo, fornecendo um lugar para colocar os nutrientes.

A perda de peso não remove essas células de gordura, no entanto. Ela suga a gordura a partir das células adiposas já existentes, deixando as células vazias para trás. Uma pessoa obesa que anteriormente fez dieta e exercícios e chegou até 15% de gordura corporal ainda tem o mesmo número de células de gordura que ela tinha quando estava com 35% de gordura corporal. A gordura é apenas mais espalhada entre as células, o que faz com que a recuperação do peso seja comum. Por quê?

Está relacionado com hormônio da saciedade, a leptina.

Muitos dizem que a leptina reflete a massa gorda. Isso é verdade, mas não é a história completa. Os níveis de leptina refletem a massa de gordura e o tamanho de cada uma das células de gordura. Isto significa que tecido adiposo total (a gordura corporal em todo o corpo) e o tamanho das células de gordura individuais afetam a secreção de leptina, com pequenas células de gordura (das quais os ex-obesos têm em abundância) secretam cerca de 1/7 mais leptina que uma célula de gordura maior. Se você estiver andando por aí com uma tonelada de células de gordura minúsculas, quase vazia após a perda de peso, você vai secretar muito menos leptina do que uma pessoa perpetuamente magra, que sempre teve mais ou menos à mesma percentagem de gordura corporal. Isto tem vários efeitos que predispõem o ex-obeso a recuperação do peso:

  • Seu gasto calórico cai. A leptina regula a quantidade de energia que é queimada (e quanta atividade física foi feita). Se os níveis de leptina são baixos, a pessoa não vai querer fazer exercícios como gostaria caso não fosse ex-obesa e ela queima menos energia fazendo isso. 
  • Seu apetite aumenta. Em uma pessoa que sempre foi magra cujas células de gordura são maiores e menos numerosas, a leptina adequada mantém a homeostase do apetite regulado. Se os receptores de leptina em seu hipotálamo (cérebro) não estão recebendo muita ativação, no entanto, o cérebro assume que você está morrendo de fome e precisa de mais alimentos. Os efeitos dos hormônios da saciedade pós-prandial são inibidos (de modo a sentir mais fome mais rápidamente após as refeições) e a sinalização do apetite é ativada (para você ficar realmente com fome). Os mecanismos corporals de recuperação do peso perdido são desencadeados.
  •  Os tecidos periféricos ficarão preparados para armazenar, em vez de queimar nutrientes. As células de gordura pequenas têm uma espécie de “memória de gordura.” Uma vez estabelecidas, estas células de gordura novas são mais prováveis de recuperar o peso perdido na presença do excesso de energia (que, como você se lembra, os seus níveis de leptina estão induziem seu consumo).

Isso torna as coisas mais difíceis para o ex-obesos ou com ex-sobrepeso. Mesmo se elas perderem 50 kg e jogando para baixo a porcentagem de gordura corporal para um nívei ideal, elas ainda mantem todas estas células de gordura que “querem ganhar peso”, aumentar a fome e impedir que haja muito gasto calórico.

Existe algum método para abater as células de gordura “extra”? Existem métodos que funcionam, mas são provavelmente inviável ou têm efeitos colaterais indesejáveis:

Adipotide é uma droga experimental de perda de peso que mata as células de gordura, cortando seu suprimento sanguíneo. Isso causa a perda de peso rápida em macacos e os testes em humanos estão em andamento. Algumas cobaias humanas já se submeteram ao teste, é claro, mas os seus resultados preliminares não parecem muito promissores, a menos que você goste de danos nos rins, hipoglicemia, urina turva, controle da bexiga problemático e dor constante. Eu faria uma longa espera para ver se um dia a droga se mostra segura.

A leptina pode programar a morte celular nas células de gordura. Claro, uma vez que as células de gordura em sua maior parte vazias secretam muito pouca leptina, o ex-obeso não conta com seu tecido adiposo fornecendo leptina suficiente como nas outras pessoas. A terapia com leptina funciona bem para matar células de gordura, mas é muito cara (algo tipo 600 mil por ano).

A suplementação de ácido linoleico conjugado de alta dose pode induzir apoptose de células de gordura em ratos com excesso de peso, mas também causa diabetes lipodistrófica, resistência à insulina, hiperinsulinemia e inchaço do fígado. Estes não são efeitos colaterais da eliminação das células de gordura. Eles são características. Melhor obter seu ALA através de carnes ou produtos lácteos alimentados com capim.

Há uma série de compostos de plantas que funcionam em animais como os extratos de chá verde e o resveratrol. Será que beber chá verde matcha e malbec chileno destroi suas células de gordura? Provavelmente não, mas não pode doi tentar e eles certamente podem ser adições saudáveis ​​a uma dieta.

 Lipoaspiração remove células gordas em regiões desejadas, embora a viabilidade da manutenção a longo prazo destas perdas não esteja claro. Os estudos em animais indicam que a remoção cirúrgica de células de gordura redireciona o ganho de gordura subsequente para diferentes partes do corpo. Em um estudo recente, os indivíduos que fizeram a lipoaspiração recuperaran seu peso perdido dentro de um ano, tudo isso vai de barriga ao estoque visceral.

Algo que funciona bem é termogênese fria (cold thermogenesis). Converte as células brancas existentes em células marrons. Infelizmente, as pessoas teriam que fazer todo ano e dificilmente alguem estaria disposto a fazer isso, a não ser que viva no Alaska. 

Não há respostas fáceis, infelizmente. É um fato simples que o ex-obeso tem que trabalhar mais , exercer mais força de vontade e ser mais exigente com suas dietas para evitar a recuperação do peso. Mas isso pode ser feito e até que tenhamos segurança, métodos  eficazes e de longa duração para remover ou causar a morte limpa de células de gordura não desejadas, ou até que a terapia de leptina se torne rentável, espero que aqueles de vocês que perderam peso e querem evitar seu ganho novamente tenham sucesso na sua nova jornada de vida saudável.

banner livro

2 Comentários

  1. Adriana Araujo

    Confesso que por ser uma ex-obesa fiquei muito decepcionado com o que li, atualmente estou enfrentando o efeito platô e o artigo não deu nenhuma solução para nós pelo contrário é fato que mesmo em dieta posso voltar a engordar.

    Responder
  2. Maria Isabel

    Eu emagreci 7 quilos o ano passado, neste ano genhei 6… Tó decepcionada comigo mesma!

    Responder

Deixar um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WordPress Anti-Spam by WP-SpamShield

Show Buttons
Entre em contato
Hide Buttons