Pesquisa do IBGE confirma alto consumo de carboidratos no Brasil

Todo mundo sabe que o brasileiro come um pãozinho no café da manhã, um pãozinho ou um pedaço de bolo no lanche da tarde e está sempre consumido alguma massa, independente de qual forma, macarrão, lasanha, canelone, nhoque, pizza e assim vai… Arroz e feijão refogado com óleo vegetal processado acompanhado de um refrigerante ou suco e uma sobremesa para completar o almoço.

Esta não é nenhuma surpresa, mas agora temos os dados do IBGE para confirmar. De acordo com um estudo publicado em 2005, os alimentos que o brasileiro mais consome são o “arroz beneficiado, feijão e a farinha de trigo”. O estudo ainda revelou que o consumo de trigo é bem elevado comparado ao consumo de arroz. Má noticia para os brasileiros!

O brasileiro consome de 54 a 58% das calorias diárias na forma de carboidratos, sendo estes os principais, de acordo com outra pesquisa do IBGE realizada em 2008-2009. Segundo os mesmos dados, o brasileiro, em média, consome mais de 300g de carboidratos por dia, mas indivíduos obesos estão acima desta média.

pao-frances

Apesar de ser crítico com relação ao alto consumo de carboidratos, é importante notar que a qualidade do alimento com carboidrato consumido é tão importante quanto a quantidade consumida. Neste sentido, o trigo é um alimento extremamente prejudicial à saúde e muito mais rico em carboidratos do que o arroz e o feijão, por exemplo. No entanto, se vocês seguem a dieta Primal que suportamos no site, a mesma sugere que sejam evitados os alimentos citados acima e que o trigo seja completamente eliminado. Se você é um atleta ou tolera bem carboidratos você pode ponderar sobre a ideia de consumir um pouco de tubérculos, ou até mesmo um pouco de arroz branco, mas sem refogá-lo com óleo vegetal processado, é claro! Intolerância, neste caso, seria observada quando não há mudanças significativas nos marcadores sanguíneos como por exemplo colesterol HDL/triglicérides, níveis de glicose sanguínea, insulina e  quando não há ganho de peso ou piora na distribuição do peso.

Leguminosas como o feijão, se consumidas, de preferência deve ser feito com bastante moderação assim como queijos, por exemplo, que apesar de possuírem valor nutricional alto, podem ser prejudiciais para algumas pessoas e contribuir para o ganho de peso. Apesar disso, é possível encontrar estes nutrientes em alimentos como nozes, carnes e diversos vegetais sem estar sujeito aos efeitos colaterais associados às lectinas presentes, aos problemas digestivos, danos no intestino e ao risco de consumir um volume excessivo de carboidratos. Devido ao alto teor de proteína e fibras solúveis, a carga glicêmica das leguminosas é baixa, em geral, o que previne o rápido aumento da glicose sanguínea.

Os princípios da dieta primal, além de se basearem na ciência, baseiam-se nos alimentos consumidos por nossos ancestrais durante período paleolítico (antes da revolução da agricultura) e por populações primitivas estudadas, o que implica no consumo baixo de carboidratos. Com certeza, baixo comparado aos padrões de consumo atual dos brasileiros e outras sociedades modernas.  Acredito que 100 gramas de carboidratos é uma quantidade boa para muitas pessoas, algumas podem se beneficiar com um consumo um pouco menor, já outras, o oposto.

Com estas informações em mente, segue uma pequena reportagem sobre a pesquisa realizada pelo IBGE em 2005:

 

Érica Santana
Repórter da Agência Brasil

Brasília – O estudo Indicadores Agropecuários 1996-2003, divulgado nessa terça-feira (15) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), confirmou o alto consumo de carboidratos no Brasil. Com base em uma tabela de disponibilidade, o IBGE calculou a quantidade per capita de carboidratos, lipídios e proteínas ingeridas pelos brasileiros tomando como base os três produtos mais consumidos pela população: arroz beneficiado, feijão e farinha de trigo.

7

De acordo com o coordenador de Agropecuária do instituto, Carlos Alberto Lauria, os dados revelam a preferência nacional por carboidratos. “O que o estudo aponta é que existe uma disponibilidade de carboidratos bem maior que de proteínas. Na realidade, o brasileiro tem uma tendência muito grande para alimentos como o pão, massas e macarrão. A tendência é mais para carboidratos que para outros produtos como proteína”.

Para chegar a essa conclusão, o IBGE transformou a produção dos grãos em um fator de conversão para carboidratos. “Não existe um levantamento específico para a quantidade de carboidratos, apenas uma conversão da produção de trigo, por exemplo, para a quantidade de carboidratos que aquele produto proporciona”, explicou Lauria. O estudo revelou ainda que a disponibilidade interna per capita de farinha de trigo é bastante elevada, comparada ao consumo de arroz, alimento mais consumido no mundo.

7 Comentários

  1. Priscila Amaral

    Olá! Acompanho o site há um bom tempo e adoro as postagens! Sempre muito esclarecedoras. Porém, essa, foi um pouco mais do que as outras pela parte: “Acredito que 100 gramas de carboidratos é uma quantidade boa para muitas pessoas, algumas podem se beneficiar com um consumo um pouco menor, já outras, o oposto.”
    Eu e meus pais estamos fazendo a primal há mais de 3 meses. Os dois perderam bastante peso e eu (que vinha de um longo período de restrição calórica) ganhei. E não foi apenas massa… ganhei gordura tbm. Minha SOP está melhorando e é meu principal objetivo. Mas, lógico, se perdesse peso seria melhor ainda. Já fiz de td e geralmente meu consumo de carbs e proteínas é bem baixo. Faço musculação 3x por semana e comecei a fazer o protocolo de Tabata nos outros dias (parecido com HIIT). Faço JI tbm. Já tentei maneirar achando q podia ser o exagero e ñ adiantou. E ainda tive q tomar corticoides, e aí q piorou td. Eu sou a única q desde o início da dieta ganhei gordura. Estou mt satisfeita com a melhora da saúde, mas poderia ser benéfico para mim um aumento de carbs?
    Muito obrigada e parabéns pelo blog! E pelas receitinhas!!! Adoooooro todas!

    Responder
    1. Caio Fleury (Publicações do Autor)

      Oi Priscila! Obrigado pelo seu comentário, fico feliz que goste do blog!!

      Se adicionar um pouco de carboidratos melhorar seus marcadores sanguíneos, sua composição corporal e faz você se sentir melhor sim, caso contrário não.

      Abraços!

      Responder
      1. Priscila Amaral

        Ok, obrigada! Meus marcadores nunca estiveram melhores. Vou fazer o teste só pelo %BF msm. Depois conto aqui como foi.

        Obrigada pelas informações no blog, bom final de ano e continuem escrevendo!

        Responder
  2. Brad Baker

    Por que voces falam so de arroz? E as batatas e mandioca?… os carboidratos mais saudavel e natural de nossos ancestrais.

    Responder
    1. Bruna Machado (Publicações do Autor)

      Olá Brad, Já mencionamos muitas vezes inclusive neste post. Porém não é ótimo para todos.Abs

      Responder
  3. Luiz

    Vi um casal muito parecido com vocês em Santos, nas primeiras semanas do ano, perto do Zé do Côco. Eram vocês?

    Responder
    1. Bruna e Caio (Publicações do Autor)

      Sim Luiz, mas que coincidência!! rsrs Estamos com frequência por lá!! Abraços

      Responder

Deixar um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WordPress Anti-Spam by WP-SpamShield

Show Buttons
Entre em contato
Hide Buttons