Os efeitos na saúde do óleo de coco

Por: Franziska Spritzler

imagem óleo de coco
O óleo de coco recebeu muita atenção nos últimos anos. Isto é devido ao seus potenciais benefícios para a saúde, muitos dos quais podem ser atribuídos aos triglicerídeos de cadeia média (MCTs) que contém.

Existem muitos estudos promissores de animais, ensaios e observação sobre o óleo de coco. No entanto, esses tipos de estudos não podem provar que o óleo de coco é benéfico em seres humanos.

Curiosamente, também foi estudado em vários ensaios controlados por humanos. Estes estudos são muito melhores para determinar se o óleo de coco é verdadeiramente saudável para as pessoas.

Este artigo analisa estudos  com humanos controlados sobre o óleo de coco.

Os estudos:

1. Liau KM, et al. “An open-label pilot study to assess the efficacy and safety of virgin coconut oil in reducing visceral adiposity.” International Scholarly Research Notices Pharmacology, 2011.

Vinte pessoas com excesso de peso ou obesas consumiram 10 ml de óleo de coco virgem três vezes por dia antes das refeições durante quatro semanas, para um total de 30 ml (2 colheres de sopa) por dia. Eles foram instruídos a seguir suas dietas usuais e rotinas de exercícios.

Resultados

Após quatro semanas, os homens perderam uma média de 1,0 polegadas (2,61 cm) e uma média de 1,2 polegadas (3.00 cm) em torno da cintura. A perda média de peso foi de 0,5 l (0,23 kg) em geral e 1,2 kg (0,54 kg) em homens.

 

2. Assuncao ML, et al. “Effects of dietary coconut oil on the biochemical and anthropometric profiles of women presenting abdominal obesity.” Lipids, 2009.

 

Detalhes

Quarenta mulheres com obesidade abdominal foram randomizadas para tomar 10 ml de óleo de soja ou óleo de coco em cada refeição, três vezes por dia durante 12 semanas. Isso equivale a 30 ml (2,5 colheres de sopa) de óleo de coco por dia.

Eles foram instruídos a seguir uma dieta com baixas calorias e caminhar 50 minutos por dia.

Resultados

Ambos os grupos perderam cerca de 2,2 lbs (1 kg). No entanto, o grupo de óleo de coco teve uma diminuição de 0,55 polegadas (1,4 cm) na circunferência da cintura, enquanto que o grupo de óleo de soja teve um ligeiro aumento.

O grupo de óleo de coco também teve um aumento no HDL (o bom) colesterol e uma diminuição de 35% na proteína C-reativa (CRP), um marcador de inflamação.

Além disso, o grupo de óleo de soja teve um aumento no colesterol LDL (ruim) e uma diminuição do colesterol bom HDL

Observações

No entanto outros estudos demonstram que a perda de peso não difere com o óleo de coco após a segunda semana de consumo comparado com outras gorduras boas como manteiga e azeite…

Apenas durante as 2 primeiras semanas, mas a perda de gordura corporal em sí (não peso) foi maior com o óleo de coco, mesmo após as 2 semanas em alguns destes estudos

 

3. Cox C, et al. “Effects of coconut oil, butter and safflower oil on lipids and lipoproteins in persons with moderately elevated cholesterol levels.” Journal of Lipid Research, 1995.

 

Detalhes

Vinte e oito pessoas com colesterol alto seguiram três dietas contendo óleo de coco, manteiga ou açafrão como principal fonte de gordura por seis semanas cada. Foram medidos lipídios e lipoproteínas.

Resultados 

O óleo de coco e a manteiga aumentaram significativamente mais o HDL do que o óleo de cártamo em mulheres, mas não em homens. A manteiga aumentou o colesterol bom HDL e LDL mais do que o óleo de coco ou o óleo de cártamo.

 

4. Reiser R, et al. “Plasma lipid and lipoprotein response of humans to beef fat, coconut oil and safflower oil.” American Journal of Clinical Nutrition, 1985.

Dezessete homens com níveis normais de colesterol consumiram almoço e janta contendo três gorduras diferentes para três períodos de avaliação sequenciais.

Eles consumiram óleo de coco, óleo de cártamo e gordura de carne por cinco semanas cada, alternando com a ingestão normal de refeições que comiam antes durante cinco semanas entre cada período de teste.

Resultados

A dieta de óleo de coco aumentou o colesterol bom HDL e LDL mais do que outras gorduras  e o óleo de cártamo, e aumentou os triglicerídeos “colesterol ruim” menos do que as outras gorduras

 

5. Muller H, et al. “The Serum LDL/HDL Cholesterol Ratio Is Influenced More Favorably by Exchanging Saturated with Unsaturated Fat Than by Reducing Saturated Fat in the Diet of Women.” Journal of Nutrition, 2003.

 

Detalhes

Vinte e cinco mulheres consumiram três dietas: uma dieta com alto teor de gordura e base de óleo de coco; Uma dieta com baixo teor de gordura e óleo de coco; E uma dieta baseada em ácidos graxos altamente insaturados (HUFA).

Eles consumiram cada um por 20-22 dias, alternando com uma semana de suas dietas normais entre cada período de dieta de teste.

Resultados

O grupo de dieta com alto teor de gordura a base de óleo de coco apresentou maiores aumentos nos colesterol bom HDL e LDL do que os outros grupos.

 

6. Muller H, et al. “A diet rich in coconut oil reduces diurnal postprandial variations in circulating tissue plasminogen activator antigen and fasting lipoprotein (a) compared with a diet rich in unsaturated fat in women.” Journal of Nutrition, 2003.

Onze mulheres consumiram três dietas diferentes: uma dieta com alto teor de gordura a base de óleo de coco; Uma dieta com baixo teor de gordura e óleo de coco; E uma dieta com ácidos graxos principalmente altamente insaturados.

Estudo similar ao anterior e com os mesmos pesquisadores.

Eles seguiram cada dieta por 20 a 22 dias. Em seguida, eles alternaram com 1 semana de dieta normal entre os períodos de teste.

Resultados

As mulheres que consumiram a dieta com alto teor de gordura a base de óleo de coco tiveram as maiores reduções nos marcadores de inflamação após as refeições, bem como os marcadores de jejum de risco de doença cardíaca, especialmente quando comparados ao grupo com consumindo gorduras insaturadas.

 

7. Law KS, et al. “The effects of virgin coconut oil (VCO) as supplementation on quality of life (QOL) among breast cancer patients.” Lipids Health Disease Journal, 2014.

Sessenta mulheres com câncer de mama avançado submetidas a quimioterapia participaram deste estudo. Foram randomizadas para receber 20 ml (2 colheres de sopa) de óleo de coco extra virgem diariamente ou nenhum tratamento.

Resultados

As mulheres no grupo do óleo de coco tiveram melhores escores para qualidade de vida, fadiga, sono, perda de apetite, função sexual e imagem corporal do que aqueles do grupo controle.

Efeitos sobre perda de peso e metabolismo

 

Todos os cinco estudos que examinaram mudanças na perda de gordura ou metabolismo encontraram algum benefício com o óleo de coco, em comparação com outros óleos ou grupos de controle. No entanto, os efeitos foram geralmente modestos, apenas substancialmente positivos quando comparados com carboidratos.

Aqui estão alguns fatos a considerar:

  • O óleo de coco aumentou o metabolismo durante pelo menos um período de tempo em cada estudo onde a taxa metabólica foi medida (1, 2, 3).
  • Em um estudo, os indivíduos no grupo de óleo de coco experimentaram diminuições na gordura corporal e circunferência da cintura sem reduzir intencionalmente as calorias (4)…. Já outros emagreceram reduzindo involuntariamente as calorias.
  • Um estudo que compara dietas com restrição calórica encontrou diminuição da gordura abdominal apenas no grupo que tomou o óleo de coco (5).

Há também vários estudos que analisaram a perda de gordura e as alterações metabólicas em resposta ao óleo de MCT, que compõe cerca de 60% do óleo de coco.

Em cada um desses estudos, verificou-se que o óleo de MCT aumenta o metabolismo, reduz o apetite e as calorias consumidas e promove a perda de gordura (6, 7, 8, 9, 10, 11, 12).

Há artigos detalhado sobre os efeitos do óleo de coco sobre o peso e a gordura da barriga.

Efeitos sobre colesterol, triglicerídeos e inflamação

 

Cinco estudos analisaram os efeitos de diferentes gorduras sobre colesterol e triglicerídeos. Aqui estão alguns pontos sobre as descobertas:

  • O óleo de coco aumentou o colesterol bom HDL mais do que a gorduras insaturadas e pelo menos tanto quanto a manteiga (5, 13, 14, 15).
  • O óleo de coco aumentou o colesterol bom HDL e LDL mais do que o óleo de cártamo e a gordura da carne, mas menos que a manteiga (5, 13, 14)
  • Os triglicerídeos não alteraram muito em resposta ao óleo de coco versus outros óleos em dietas com conteúdo de gordura semelhante.
  • Os marcadores de inflamação e estresse oxidativo diminuíram mais em pessoas que consumiram óleo de coco em comparação com pessoas que consumiram outros óleos (5, 16).

Infelizmente, os estudos não analisaram o colesterol ApoB ou a contagem de partículas de colesterol LDL, que são marcadores mais precisos para o risco de doença cardíaca do que a medida padrão de colesterol LDL, que é um medidor marginal e ineficiente de doença cardíaca..

Mensagem para levar para casa

 

O óleo de coco parece ajudar as pessoas obesas a perder gordura abdominal. Também parece aumentar a taxa metabólica, pelo menos temporariamente.

Embora o óleo de coco pareça aumentar o colesterol LDL mais do que algumas outras gorduras, seu efeito mais consistente é o aumento do colesterol bom HDL.

Também é importante lembrar que as respostas às gorduras alimentares podem variar muito de pessoa para pessoa.

Dito isto, o óleo de coco geralmente é um alimento muito saudável e natural. Incluí-lo em sua dieta provavelmente pode melhorar sua saúde, peso e qualidade de vida.

Se sua dieta é baixa em carboidratos refinados que aceleram o desenvolvimento de doenças cardíacas, o óleo de coco pode ser uma excelente opção para aumentar os níveis energia.

Banner1

Deixar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comments Protected by WP-SpamShield Spam Blocker

Show Buttons
Compartilhe no Face
Entre em contato
Hide Buttons