Jejum intermitente, jejum e perda de massa muscular

jejum-prato-vazio1

No meu artigo anterior, “Deveríamos tomar o café da manhã?” abordei a questão de que se é saudável ou não tomar café da manhã e os benefícios decorrentes do jejum intermitente. Em geral, os leitores gostaram do post, mas muitos me mandaram mensagens, preocupados com uma possível perda de massa muscular com esta prática. Por isso escrevi este artigo que tem o propósito de analisar se o jejum causa ou não perda de massa muscular.

A ideia de que não é saudável fazer jejum, ou pular refeições provavelmente foi desenvolvida a partir da difusão cultural da crença de que se deixarmos de comer por muito tempo ficaremos desnutridos, pela comunidade de fisiculturistas pensarem que o seu corpo vai se utilizar dos tecidos musculares para obter energia, gerando assim perda de massa muscular, influenciada pelas pesquisas mais recentemente divulgadas pela mídia nacional e internacional de estudos inconclusivos e mal interpretados, alegando tendenciosamente que comer várias refeições no dia aumenta o metabolismo. Esses são exemplos de má interpretação de pesquisas provavelmente devido à tendências pessoais, ou pela complexidade das variáveis envolvidas.

Quando as pessoas escutam sobre o jejum intermitente, normalmente ficam espantadas, pois já foram advertidas por autoridades nutricionais e pela sabedoria popular que esta é uma prática nociva. É comum ler, ou escutar por aí que o jejum é uma prática nociva, prejudica o metabolismo, gera perda muscular, é pior para saúde física e mental. O fato é que todos os estudos demonstram exatamente o oposto! E a propósito, é bem comum de encontrar fatos científicos contradizendo a sabedoria popular. Artigos científicos são difíceis de serem interpretados para a maioria das pessoas, e o fato da maioria deles estarem disponíveis somente em inglês dificulta mais ainda.

Autores que tem bom conhecimento sobre nutrição são um tanto difíceis de serem encontrados no Brasil, em grande parte devido ao fato do “vírus da gordura”, lipofobia ou medo de gordura, ter sido disseminado no Brasil com grande influência das autoridades de saúde internacionais, que incentivaram o governo norte americano a multiplicar o subsídio da agricultura, principalmente o milho (para fazer xarope de glicose, similar ao açúcar) e o trigo.

Existem forças comercias moldando o comportamento das pessoas para o consumo de grãos integrais, que são abundantes no supermercado e em lojas de suplementos alimentares, ou barrinhas de cereais, e no meio da atividade física, as famosas barrinhas de proteína altamente processadas, normalmente ricas em açúcar, leite em pó desnatado, soja, amendoim e grãos. A indústria de cereais e grãos se beneficia ao divulgar os benefícios de comer entre as refeições e de tomar café da manhã para acelerar o metabolismo, saúde e perda de peso, pois não há incentivo comercial em dizer às pessoas que elas podem se beneficiar mais fazendo jejum intermitente, não comer grãos no café da manhã, ou fazer menos refeições por dia. Já que ninguém vai fazer uma refeição, de fato, entre as refeições, é muito mais fácil para elas consumirem barrinhas de cereais e de proteína, ou shakes milagrosos, o que significa lucro para a indústria de alimentos “naturais”.

Para a população mais carente, um pão de queijo, ou um misto quente acompanhado de um cafezinho cheio de açúcar ou adoçante serve como lanche. O típico nutricionista, personal trainer e celebridades são modelos de um padrão a ser seguido pelas pessoas, mas infelizmente eles normalmente são tão desinformados quanto o público sobre nutrição, apenas são mais preocupados com a saúde e a forma física.

Jejum e perda de massa muscular

A perda muscular é resultado de diversos fatores, incluindo a atrofia que ocorre quando o indivíduo não faz atividades físicas regularmente, tendo assim um hábito sedentário e também por meio do processo catabólico gerado pela falta de proteína, que resulta em um processo de canibalização muscular, quando o corpo usa os aminoácidos do tecido muscular como fonte de energia.

Para não entrar em processo catabólico é preciso consumir fontes de proteína que possuem os nove aminoácidos essenciais, ou seja, a proteína animal, ovos, carnes, peixes e laticínios. Fontes de proteína vegetais são fontes insuficientes de aminoácidos essenciais.

Existem alguns estudos que têm examinado os efeitos do jejum intermitente em regular a retenção muscular, porém eles não são abundantes. Nenhum conseguiu comprovar que jejuns curtos, de menos de 12 horas, causam perda muscular, dado que os indivíduos sejam alimentados com quantidades suficientes de proteína animal antes do período de jejum. Somente jejuns longos causam perda de massa muscular, de modo a gerar catabolismo das proteínas, quando reservas de glicogênio do fígado se esgotam, de maneira a obrigar que a proteína do músculo seja convertida em aminoácidos para manter os níveis de glicose sanguínea suficientes para suprir a demanda energética dos órgãos.

Em um estudo de quatro semanas feito com jogadores de rúgbi que se submeteram ao jejum intermitente, a massa corporal diminuiu significantemente e progressivamente no período de quatro semanas e apesar de haver uma perda de gordura corporal a massa magra (músculo) foi conservada. Houve também aumento nos níveis de colesterol “bom” HDL e da lipólise (decomposição dos tecidos de gordura, que envolvem a conversão de triglicérides em ácidos graxos para serem usados como energia).

É difícil encontrar estudos que comprovem que um período de jejum de cerca de 24h ou menos (em meio a diversos estudos que mostram o oposto) é suficiente para levar a perda de massa muscular e em que os participantes não façam exercícios (o que aumenta o consumo de glicogênio durante o período de jejum).

Em um estudo famoso feito com boxeadores foi constatada uma perda de massa muscular no grupo de boxeadores que fizeram duas refeições ao dia, quando comparados aos que fizeram várias refeições ao dia.

No entanto, este estudo obteve conclusões errôneas e tem sido criticado por muitos pesquisadores, pois não consideraram o fato dos participantes estarem consumindo proteínas somente em forma líquida, como whey protein, que são absorvidos mais rapidamente pelo organismo. 30g de whey protein são absorvidas em torno de 3 a 4 horas, o que significa que há uma perda muscular se consumirmos apenas proteína líquida durante as refeições, o que na prática nunca acontece com as pessoas que seguem a dieta Primal, ou low carb, que no dia a dia consomem uma refeição variada, rica em gordura, proteína animal e um pouco de carboidrato, o que pode fazer com que o tempo de absorção da proteína leve mais de 10 horas para ser concluído. O jejum intermitente, além de preservar a massa muscular, traz diversos benefícios para o cérebro e queima de gordura corporal.

photo-59124

Além destes estudos, existem estudos que demonstram a taxa de absorção de proteína dos alimentos. Em geral, a proteína é absorvida muito lentamente. Após uma refeição rica em proteína, são necessárias várias horas para que os aminoácidos entrem na corrente sanguínea, podendo chegar a mais de 10 horas. Um almoço caprichado com mais de 60 gramas de proteína provavelmente ainda estaria fornecendo aminoácidos por mais de 10 horas, ou seja, até o treino do final de tarde, ou da noite.

Com base em alguns estudos e de acordo com a experiência prática de body builders proeminentes que fazem ou fizeram jejum regularmente é possível afirmar que fazer jejum por menos de 10 a 12 horas para quem faz musculação, ou esportes em geral- o que gera um aumento na demanda do corpo por glicogênio – não irá fazer com que o corpo entre em estado catabólico muscular, ou seja, que o corpo tenha que usar a proteína muscular como fonte de energia.

Perda de massa muscular em jejum de longos períodos

Em jejuns prolongados a perda de massa muscular depende do nível de gordura corporal do indivíduo e da quantidade de massa muscular anterior ao início do jejum, de acordo com alguns estudos como estes, (1,2,3) que mostram que há uma perda muscular menor em ratos obesos do que nos ratos magros, em jejuns longos, devido ao fato da síntese da proteína muscular diminuir mais lentamente em ratos com maiores níveis de gordura corporal e devido a taxa de degradação da proteína muscular aumentar em ratos magros e diminuir em ratos com maiores níveis de gordura corporal. Ratos magros tem uma necessidade de manutenção maior, por isso apresentam um declínio metabólico mais rápido que os ratos gordos. Os ratos obesos perderam um quinto, ou 20%, da proteína que os ratos magros perderam.

rats

Isso não significa que você tem que estar acima do peso para fazer jejuns longos, mas significa que se você tem um nível de gordura corporal baixo, não é aconselhável fazer jejuns longos com o objetivo de preservar massa muscular, junto com a perda de gordura corporal, neste caso, faça um jejum mais curto. Muitos benefícios podem ser alcançados com os jejuns longos, apesar da perda de massa magra, no entanto, essa prática deve ser feita com o acompanhamento de um profissional e o indivíduo já deve estar acostumado com uma dieta low-carb cetogênica, ou o jejum intermitente, para não correr o risco de esgotar as reservas de glicogênio.

O jejum intermitente pode gerar efeitos colaterais caso você não esteja acostumado com a dieta Primal ou low-carb ou caso seja diabético, efeitos como tonturas, fraquezas, náusea e dores de cabeça, decorrentes da diminuição dos níveis de glicose sanguíneas que estes indivíduos são mais suscetíveis a terem. Os níveis de açúcar no sangue seguem o padrão de alimentação que as pessoas estão acostumadas a consumir. Nós evoluímos como espécie para aumentarmos nossa capacidade de sobrevivência, de maneira a nosso organismo poder se autorregular, se adaptando a falta de alimento, para que os níveis de açúcar sanguíneos não diminuam a ponto de comprometer as funções cognitivas e as funções dos órgãos.

Ao contrário do que muitos pensam, o jejum longo de mais de 24 horas não afeta negativamente nosso estado de saúde mental se estivermos adaptados a uma dieta low-carb cetogênica, restrição calórica ou jejum intermitente. Dadas essas condições iniciais dos indivíduos,estudos (1,2) mostram que eles levariam mais de três dias para alcançar um nível de glicose sanguínea baixo o suficiente para causar um impacto negativo na cognição, mas somente por um período curto, até que o cérebro se adapte a produzir corpos cetônicos suficientes para lidar com a demanda energética do cérebro.

Nenhum estudo foi capaz de demonstrar uma redução da taxa metabólica estatisticamente significativa durante períodos de jejum curtos. A redução da taxa metabólica existe somente em jejuns longos de mais de três dias, não em jejuns intermitentes. Se ocorrerem variações no metabolismo em jejuns intermitentes, é mais provável que haja um aumento, ao invés de diminuição.

Treinos de resistência (musculação) e jejum

A atrofia muscular ocorre quando a taxa de degradação de componentes intracelulares do músculo é maior do que a taxa de síntese. Em outras palavra, o crescimento do músculo ocorre quando há um equilíbrio positivo entre a quebra de proteína nos músculos (processo catabólico) e a síntese de proteína do músculo (processo anabólico) que ocorre após o treino, ou o equilíbrio entre a degradação e a síntese é o que determina o tamanho total do músculo. É preciso ativar as reações químicas anabólicas para que haja crescimento muscular.

sarcopenia

Quando fazemos jejuns prolongados ou desenvolvemos doenças como a diabetes e o câncer, o músculo entra em processo catabólico, favorecendo a degradação dos componentes intracelulares e a quebra da proteína nos músculos.

Segundo John Kiefer pesquisador e body builder profissional, o corpo começa a perder massa muscular a partir de 12 horas de jejum aproximadamente, quando sinais supressores da síntese de proteína começam rapidamente a se desencadear. Segundo ele isso ocorre por diversos motivos. Após 12 horas de jejum o corpo ajusta rapidamente diversos reguladores do crescimento, muitos dos quais agem para desligar as reações químicas responsáveis pelo processo anabólico e a síntese de proteína.

As pesquisas são unanimemente a favor do consumo de proteína pré e pós-treino para melhorar a síntese protéica. Consuma 2 ou 3 cápsulas de BCAA antes dos treinos se for fazer jejum, ou até mesmo durante o jejum, pois assim você continua em jejum obtendo seus benefícios anabólicos pós treino, impede a quebra das proteínas musculares, caso não tenha consumido proteína suficiente antes do período de jejum, e melhora a síntese protéica.

Treinos de resistência feitos em jejum são beneficiais de diversas maneiras. Jejuns longos são anabólicos, eles impedem o crescimento muscular. Pular o café da manhã não se enquadra nessa categoria. Muitos body builders profissionais estão comendo a primeira refeição 3 horas após acordar e estão atingindo resultados ótimos em termos de perda de gordura, sem prejudicar o ganho de massa muscular e muitos tem alegado sofrer perda de massa muscular quando passam o dia todo sem comer.

Como já eu já disse no meu artigo anterior sobre o café da manhã, a prática de jejum traz diversos benefícios a saúde e para quem faz musculação existem algumas vantagens em fazer um treino em jejum segundo alguns estudos, que mostram que o jejum estimula as respostas anabólicas intramoleculares em resposta ao consumo de whey protein aminoácidos pós treino, além de um transporte mais rápido de aminoácidos para dentro das membranas das células musculares.

O aumento da produção de cortisol durante o período de jejum também gera benefícios para o ganho de massa muscular. O cortisol é um hormônio tipicamente conhecido como o hormônio do estresse, por causar estresse físico e mental em grandes quantidades. No entanto, em quantidades moderadas ele é benéfico, sendo responsável por melhoras na cognição, atenção, memória e percepção sensorial, entre outros benefícios.

O aumento dos níveis de cortisol gera uma melhora no metabolismo muscular e da glicose, aumenta a tolerância à dor, diminui a fadiga e aumenta a motivação durante o treino de musculação. Graças a ele é possível agüentar os treinos por períodos mais longos, tendo mais motivação, resistência à dor e a fadiga.

Níveis de cortisol mais altos fazem com que o pâncreas responda mais rápido para produzir insulina após o consumo de alimentos, o que significa que quando você comer whey protein, ou uma refeição após o treino de musculação em jejum, sua produção de insulina será maior, assim otimizando o crescimento muscular.

Comer de 3 em 3 horas

Não precisamos comer de 3 em 3 horas, o metabolismo não é acelerado e não obtemos nenhum benefício com essa prática. Este argumento não tem embasamento e científico e evolucionário. Não poderíamos sobreviver como espécie se isso fosse verdade, já que períodos regulares de jejum eram uma parte natural do nosso passado durante períodos de escassez. A grande maioria dos estudos estão a favor de um consumo menos frequente de alimentos

Alguns estudos (1,2,3) sugerem que comer de 3 em 3 horas não necessariamente ajuda a controlar o apetite, já que comer menos frequentemente torna mais fácil o controle/redução de calorias e comer lanches cheios de carboidratos de alta carga glicêmica como os grãos, agem como um opióide no cérebro (efeito vicioso como o da cocaína) que desregulam hormônios que controlam o apetite como a leptina, tornando as pessoas mais suscetíveis a consumir mais.

Até mesmo o famoso jornal americano New York Times recentemente publicou um artigo condenando as pesquisas que alegam que o consumo de varias pequenas refeições ao dia geram aumento no metabolismo. Esse artigo cita alguns estudos que negam a premissa de que o aumento da frequência das refeições gera uma melhor regulação do apetite no curto prazo e o aumento da saciedade, assim fazendo com que a saúde da flora intestinal fosse beneficiada como resultado da diminuição do consumo de alimentos, o que os pesquisadores acreditavam antes da pesquisa ser conduzida

Muita atenção é dada pela mídia ao argumento do café da manhã, o consumo freqüente de alimentos e a recriminação do jejum intermitente, apesar de muitos dos estudos terem sido inconclusivos e erroneamente interpretados, muito devido ao fato de que alguns estudos tem demonstrado que não consumir o café ganha leva ao ganho de peso, o que muitas vezes é verdade, mas como citei no artigo sobre o café da manhã, muito do que se ganha é massa muscular e a gordura corporal, que pesa menos, é mantida. Muitos pesquisadores interpretam os estudos como se perda de peso fosse sempre bom, sem analisar a composição corporal, o que é no mínimo simplista e um tanto absurdo! Independente de qual seja o motivo da má interpretação, seja por maior publicidade e aceitação da mídia, por motivos comerciais de venda de produtos, ou por generalizações grotescas temos que ser muito céticos quando escutarmos ou lermos notícias recriminando o jejum.

Esta é uma prática que além de ser ótima para a saúde física e mental pode trazer mudanças extremamente valiosas para nossas vidas. Fazer jejum intermitente, para mim, trouxe a sensação de ter aprendido algo novo e motivador, que possibilitou alcançar resultados inacreditáveis em termos de ganho de energia, perda de gordura corporal, performance física e mental.

E você se sentiu assim também? Me conte sobre sua experiência com jejum!

Banner1

Referências:

http://www.bodyrecomposition.com/research-review/meal-frequency-and-energy-balance-research-review.html#more-1389

Soeters MR, Sauerwein HP, Dubbelhuis PF, Groener JE, Ackermans MT, Fliers E, Aerts JM, Serlie MJ. Muscle adaptation to short-term fasting in healthy lean humans. J Clin Endocrinol Metab. 2008 Jul;93(7):2900-3.

Liu Y, Dentin R, Chen D, Hedrick S, Ravnskjaer K, Schenk S, Milne J, Meyers DJ, Cole P, Yates J 3rd, Olefsky J, Guarente L, Montminy M. A fasting inducible switch modulates gluconeogenesis via activator/coactivator exchange. Nature. 2008 Nov 13;456(7219):269-73.

Natalucci G, Riedl S, Gleiss A, Zidek T, Frisch H. Spontaneous 24-h ghrelin secretion pattern in fasting subjects: maintenance of a meal-related pattern. Eur J Endocrinol. 2005 Jun;152(6):845-50.

Salgin B, Marcovecchio ML, Humphreys SM, Hill N, Chassin LJ, Lunn DJ, Hovorka R, Dunger DB. Effects of prolonged fasting and sustained lipolysis on insulin secretion and insulin sensitivity in normal subjects. Am J Physiol Endocrinol Metab. 2009 Mar;296(3):E454-61

http://www.bodyrecomposition.com/research-review/meal-frequency-and-energy-balance-research-review.html#more-1389

Li, J. B., Higgins, J. E. & Jefferson, L. S. (1979). Changes in protein turnover in skeletal muscle in response to fasting. Am. J. Physiol. 236, E222-E228

Millward, D. J. (1970) Protein turnover in skeletal muscle. II. The effect of starvation and a proteinfree diet on the synthesis and catabolism of skeletal muscle proteins in comparison to liver. Clin. Sci. 39, 591-603.

Waterlow, J. C., Garlick, P. J. & Millward, D. J. (1978) The effects of nutrition and hormones on protein turnover in muscle. In: Protein Turnover in Mammalian Tissues and in the Whole Body, pp. 625-695, Elsevier/North-Holland Biomedicai Press, Amsterdam

Millward, D. J. & Waterlow, J. C. (1978) Effect of nutrition on protein turnover in skeletal muscle. Fed. Proc. 37, 2283-2290.

Garlick, P. J., Millward, D. J., James, W. P. T. & Waterlow, J. C. (1975) The effect of protein de privation and starvation on the rate of protein synthesis in tissues of the rat. Biochim. Biophys. Acta 414, 71-84.

Goodman, M. N., Larson, P. R., Kaplan, M. M.; Aoki, T. T., Young, U. R. & Ruderman, N. B. (1980) Starvation in the rat. II. Effect of age and obesity on protein sparing and fuel metabolism. Am. J. Physol. 239, E277-E286.

http://link.springer.com/article/10.1007%2Fs00421-009-1289-x

http://jn.nutrition.org/content/112/10/1862.full.pdf

http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/8263048

http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/2405701

http://link.springer.com/article/10.1007%2Fs00421-009-1289-x

http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/19164831

Bellisle F et. al. Meal frequency and energy balance. Br J Nutr. (1997) 77 (Suppl 1):S57-70.

http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/20339363

http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/9155494

http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/19943985?ordinalpos=&itool=EntrezSystem2.PEntrez.Pubmed.Pubmed_ResultsPanel.SmartSearch&log$=citationsensor

http://www.nytimes.com/2010/03/23/health/23really.html?src=sch&pagewanted=all&_r=0

 

80 Comentários

  1. Armando Marcondes Godoy

    Resolvi experimentar e fiz períodos de 16 horas de jejum. Notei nas primeiras vezes, um pouco mais de irritação, e a sensação de fome no horário habituado a comer. Passou o desconforto em meia hora. Me senti um tanto mais predisposto a ingerir algo doce pós jejum. E sim, medi a cetose e ela avançou ao máximo. Houve de fato uma maior perda de peso. Aliei algumas vezes, a caminhadas em jejum, e tudo ok. Minha conclusão é que especificamente no meu caso, não pretendo fazer por períodos maiores que 16 horas. Penso ter neste intervalo e da forma que faço (com atividades físicas) o meu melhor custo x benefício. Obrigado pelas informações, uma luz no caminho dos “low-carb”!

    Responder
    1. Bruna Machado (Publicações do Autor)

      Armando,

      obrigada por compartilhar sua experiência com o jejum conosco. O importante é mesmo ver como você se sente com períodos maiores ou menores de jejum, cada um se sente de um jeito e tem um objetivo né? Abraços e volte sempre!!

      Responder
  2. Pricilla

    Caio, tenho pouquíssima experiência com o JI. Terminei 1 período de 22h, 1 período de 24h e 1 período de 26h (esse último estava distraída vendo tv e me esqueci de ir comer após as 24h).
    Ficou claro para mim que a fome que senti foi 100% psicológica. Se estava distraída ou ocupada não sentia absolutamente nada. Somente quando parava para pensar sobre o jejum que dava um clique “que precisava comer”. Acredito que o auto controle é a chave para os primeiros períodos de jejum.
    O curioso é que acabando o jejum e voltando a comer, o mínimo de comida já deu grande saciedade.
    Em muitos momentos do dia me senti cheia de energia, totalmente ligada nos 220v, não senti nada como dor de cabeça, fraqueza, tontura, enjoo ou insônia.
    Tenho pouco menos de 3 meses em Atkins e poderia até dizer que sigo uma alimentação paleo, mas infelizmente ainda sou viciada em coca zero.
    Poucas semanas atrás comecei a ler tudo que vi pela frente sobre o JI, e acredito que a prática é extremamente motivadora e benéfica. Li no The Fast-5 Diet and the Fast-5 Lifestyle do Herring que com o passar do tempo, nós nos desviciamos da comida e acabamos aprendendo a comer uma quantidade mais próxima da que nosso corpo realmente precisa.
    Atkins me tirou a compulsão por comida. Espero que o jejum melhore ainda mais a relação que tenho com a alimentação e que eu de fato aprenda de acordo com a máxima “coma para viver e não viva para comer”.

    Sobre seu texto, entre pequenas dúvidas algo me saltou aos olhos e me trouxe grande confusão: “Quando fazemos jejuns prolongados, *desenvolvemos doenças como a diabetes e o câncer,* o músculo entra em processo catabólico, favorecendo a degradação dos componentes intracelulares e a quebra da proteína nos músculos.”
    Você pode explicar isso melhor? Não entendi a razão de jejum prolongado (o que seria esse prolongado?) ser tão maléfico a ponto de causar diabetes e câncer (que tipo de câncer?)

    Obrigada, Pricilla

    Responder
    1. Bruna Machado (Publicações do Autor)

      Pricilla,

      desculpe pelo erro!! Acabamos esquecendo de colocar o “ou” ali na frase, o que mudou completamente o sentido dela! Agora já corrigimos!! Beijos

      Responder
      1. Pricilla

        Opa! Que susto! =]
        Muito obrigada, Bruna!

        Responder
    2. Caio Fleury

      Muito obrigado pelo comentário Pricilla!O jejum intermitente recomendado pelo Dr Bert Herring de 16 a 19 horas é ótimo! Muitos fisiculturistas fazem esse jejum habitualmente e em período pré-competição tendo ótimos resultados. Comer carboidratos no período da noite parece ser melhor do que de manhã e de tarde. No entanto é preferível que sejam sempre carboidratos saudáveis,(vegetais, tubérculos e frutas).Muita gente que segue o jejum do Dr. Bert come de tudo no período da noite, o que não é bom. Eu também acho recomendável o consumo de BCAA durante o período de jejum. Abraços!!

      Responder
  3. Claudia

    Achei interessante o artigo, é uma aula. Não me utilizo do jejum prolongado porque sinto dor de cabeça e bastante irritabilidade.
    Acredito que ainda tenho bastante resistencia em colocar gordura na alimentação e uma quantidade de proteina mais elevada! Estou no processo é lento para mim.

    Responder
  4. Nelson Lima

    Muito bom o blog! Parabens! Quanto a perda muscular, se vc estiver isento de CH, ou seja com baixos índices de insulinemia, toda sua energia será obtida através de lipólise, preservando seu tecido muscular, em especial se mantida a atividade física. Pratico há 13 anos, sem problemas! Mas cuidado se vc estiver no vício do CH, malhar em jejum pode matar!

    Responder
    1. Pablo

      Oi. Desculpa minha ignorância, mas o que é CH? :)

      Responder
  5. Bianca Camargo

    Estou no meio do meu primeiro JI, mas acabei decidindo fazer no meio do dia pq as circunstâncias favoreceram, então tomei café da manhã no horário habitual. Nas próximas vezes, vou fazer diferente, com a primeira refeição no meio da manhã.
    Já treinei hoje, corri após o treino, estou no fim do expediente e não me senti cansada, pelo contrário: estou alerta, cheia de disposição e sem nenhuma dor de cabeça.
    Senti muita fome no meio da tarde, mas logo percebi que era “vontade de comer”, e foi passando.

    Mas lendo esse artigo, eu fiquei na dúvida: estou querendo e precisando perder gordura pro meu campeonato de fisiculturismo, mas não quero catabolizar… Quanto tempo, então, deve durar meu jejum? 24h vai ser demais?

    Beijos!

    Responder
    1. Caio Fleury

      Bianca já que claramente seu objetivo é perder gordura corporal preservando a massa muscular, tente não fazer jejuns longos. 24horas me parece ser longo demais para o seu objetivo. Eu tentaria fazer o jejum pela manhã até a hora do almoço como faço muitas vezes e talvez no seu caso, se você preferir, você pode tentar estender um pouco mais até o final da tarde se sentir-se bem e sentir que não está perdendo massa muscular. Tente tomar BCAA caso queira estender o jejum até o final de tarde. Consuma bastante fibras nas refeições em forma de vegetais ou tubérculos se preferir.
      Não tente fazer mais de um ou dois jejuns de mais de 18 horas por semana, pois mulheres principalmente estão mais sujeitas a sofrer as consequências negativas do excesso de jejum.

      Abraços e boa sorte!

      Responder
      1. Bianca Camargo

        Obrigada pela atenção, Caio!! =)
        Estou fazendo meu café da manhã mais tarde todos os dias e sinto-me ótima. Acho que vou adotar isso pra sempre mesmo!
        Beijos!

        Responder
  6. Pérola Boudakian

    Olá Caio e Bruna! Para uma pessoa que não faz atividade física regular, há prejuízo no jejum de 10-12h? E que está acima do peso, ou seja, tem gordura “extra”…rs
    Beijos, Pérola

    Responder
    1. Bruna Machado (Publicações do Autor)

      Oi Pérola!

      Fazer jejum de 12 horas é muito fácil, é só ficar das 8 as 8 sem comer. Caso os níveis de glicose sanguínea estejam equilibrados não há porque ter medo de fazer jejum até a metade do dia sem fazer exercícios.

      Abs,

      CAIO

      Responder
      1. Jordana

        Bom dia, Bruna e Caio. Estou há uma semana em low carb/paleo com 20g de carbs apenas. Quero levar a paleo como estilo de vida.Preciso perder 20kg. So faço pilates 2x na semana, por favor me ajudem nas seguintes dúvidas: 1) Se eu fizer o jejum de 12h, logo qd acordar posso fazer uma caminhada de 40min na esteira sem risco de perder massa magra? Preciso tomar as cápsulas de bccaa?se sim, tem alguma indicaçãl de marca/qtdade q tomar? Li no site do frango com batata doce de que é preciso tomar whey protein logo após o aerobico em jejum pro corpo nao se alimentsr de musculos. Tenho que comprar whey tb?? qual vc indica? Estou tão confusa! 2) Mesmo se eu nao fizer musculacao mas fazer jejum de 12h x na semana acelero o emagrecimento sem eprda da massa magra? E Se eu fizer a musculacao tradicional e alternar dias de hiit precisa de pós-treino tipo whey ou posso comer normal?
        Desculpa a pergunta extensa, nao consegui resumir.rsrsrs OBRIGadA!!Amando esse blog aqui!

        Responder
        1. Bruna e Caio (Publicações do Autor)

          Você pode atingir suas necessidades diárias de proteínas sem o why. Mas ele pode ajudar na reposição. Gold standard é uma boa marca. Obrigado!!

          Responder
        2. Bruna e Caio (Publicações do Autor)

          Não deve haver perda de massa magra se o jejum não for mais longo e se consumir proteína logo antes e depois do jejum.

          Responder
          1. Jordana

            mas, se eu consumir a proteína antes logo não será mais jejum, correto? Posso apenas fazer o aerobico de media intensidade por 40min após jejum de 8h e fazer uma refeicao meia hr depois? sem whey e sem bcca, sem perder a massa magra? Obrigada mais uma vez. Abs.

  7. Alan Tegner Moreira

    Olá!

    Minha dúvida quanto ao JI é que treino cedo, estou em fase de queima de gordura, início a academia por volta das 6:30 da manhã, com 10 min iniciais de aquecimento, após 30 a 40 min de musculação e pra finalizar mais 20 min de aeróbico alternando com HIIT. A grande questão é ir pra academia em jejum não poderá acarretar em malefícios? Como estarei em jejum poderei passar mal?
    Hoje fiz um jejum de 15 horas e me senti normal, porém, não pratiquei exercícios. Hoje é o único dia de descanso.

    Responder
    1. Bruna Machado (Publicações do Autor)

      Se você já está acostumado com uma dieta low carb não há problema em 30 a 40 minutos de Musculação em jejum. Quanto ao aeróbico, não acho que vale a pena fazer em jejum, talvez por pouco tempo. Se hidrate, tome um whey e um isotônico natural para auxiliar na recuperação muscular. Acrescentaria cafeína pré e creatina pós treino. Se sentir fraqueza tome um whey antes do treino. Abs

      Responder
  8. Raphael Tanuri

    Caro amigo,
    Eu e meu pai praticamos jejum há mais de 10 anos.
    Períodos entre 12 até 72horas
    2 vezes ao mês.
    Nestes últimos 10 anos nunca mais precisamos ir ao médico nosso exames clínicos são perfeitos muito acima da média.
    Nos últimos 6 meses voltei a praticar musculação, notamos que nos períodos de jejum a potência muscular é muito maior e também a resistência à fadiga. Contrariando o que a sabedoria popular diz sobre jejum, notamos um aumento de massa magra mesmo em períodos mais longos de jejum. Cabe ressaltar que temos uma dieta rica em proteínas (eu só como peixe, todos os dias) nenhum tipo de complemento e consegui excelentes resultados com 2 treinos de 20 minutos por semana.
    Grande abraço

    Responder
  9. Vivian

    Smp q eu tentei me alimentar a cada 3h sentia uma fome imensa, culpa tb dos carboidratos. Hj mal faço 3 refeiçoes por dia, não dá vontade!! Fazia jejum sem saber q era bom, pois me alimento por volta das 18h e depois só no dia seguinte e não sinto fome alguma!!

    Responder
  10. Murillo Souto Maior

    Bom dia, faço JI há 2 semanas, seguindo o método leangains.com de Martin Berkhan, faço 16hs de fasting e 8 h de feeding, muitas proteínas de origem animal( as vezem mais de 10grs/dia) e 10grs de bcaa 15 min antes do treino de musculação e no final de do mês de julho irei medir meu % de gordura para saber se tive perda de massa magra, farei tb exame lipidograma.Estou me sentindo ótimo como jamais estive, alerta e ativo, dormindo muito bem!Esta semana adquiri o seu livro e estou ansioso para ler assim que me for entregue e farei adaptações na minha alimentação.
    Parabéns e obrigado por abrir a minha mente!!

    Responder
    1. Murillo Souto Maior

      Na verdade ingiro as vezes mais de 100grs/dia de proteínas, houve um erro de digitação.

      Responder
  11. Crisógenes Pacheco

    Caio e Bruna, boa noite!
    Estou há sessenta e oito dias mudando a minha maneira de viver, minha e da minha família. E de alguns amigos. Tenho buscado conhecer mais a cada dia. Já fiz JI, mas a possibilidade de fazê-lo mais vezes por semana confesso que me seduz. Gostaria de saber qual a melhor indicação para o meu caso: tenho 1,76m., 115 kg atualmente e não faço exercícios. O que vocês acham? Já fiz de dezesseis e dezoito horas e é tranquilo. Posso fazer a semana toda? De quantas horas?
    Muito obrigado!!!

    Responder
  12. Michele

    E quem está amamentando, pode fazer?

    Responder
  13. Sol Nascimento

    Olá, adorei o seu post….Tenho uma dúvida: qual a frequência máxima recomendada de JI para quem quer eliminar gordura corporal(sexo feminino)?

    Responder
  14. MAGALI DE SOUZA

    OI Caio e Bruna…descobri o blog e estou adorando! pratico atividade física a noite, as 21 horas, e busco perda de gordura e definição muscular. Qual seria o melhor horário para a refeição dentro desse contexto de jejum,ganho massa muscular,perda de gordura?

    Responder
  15. Marcelo Pereira da Silva

    Bom dia a todos, tenho feito 1X por semana o JI, o que acontece comigo é que sinto fraqueza (não muita) e fico um pouco irritado, e um pouco de dor de cabeça. mas tenho feito assim mesmo, me sinto leve e a perda de peso vai bem obrigado.
    Tenho feito jejuns de 12 a 16 horas no máximo.
    Ainda não experimentei me exercitar durante o período de jejum, mas vou tentar.

    Responder
  16. Mauricio Samuel

    A uma semana comecei a fazer jejum intermitente todos os dias de 12 a 14 h e pratico musculacao. Recentemente peguei uma hernia de disco ao fazer levantamento terra sem cinto e me recuperei em um mes o que era previsto para 2 a 3 meses no minimo. Apesar de estar com 60 anos me recuperei melhor que atletas jovens. Sera devido ao jejum intermitente?

    Responder
  17. Thaís Moraes

    Adorei o post! Hoje fiz o meu primeiro JI, fiz 16 horas, senti fraqueza, dor de cabeça e um pouco de tontura mas nada demais. Consegui treinar normalmente. Sigo atkins, é uma boa combinar a dieta com o JI? Posso fazer todos os dias por 16 horas? Corro o risco de catabolisar? O JI é eficaz na queima de gorduras? Agradeço MUITO se for respondida! Bjsss

    Responder
    1. Bruna Machado (Publicações do Autor)

      Olá Thaís,

      Mulheres sofrem mais problemas do que homens com JI. Porém 16 horas é tranquilo se o corpo está acostumado a usar gordura como fonte de energia. Caso contrário haverá fraqueza e tontura. Tenha cuidado, não force seu corpo! Neste caso consuma um café primal de manhã e veja se ajuda, assim você terá alguns dos benefícios do JI. 16 horas contando o tempo de sono certo? abs

      Responder
    2. Bruna Machado (Publicações do Autor)

      Não é possível realizar consultas via internet. As opiniões expressas neste blog não podem substituir as de seu médico ou nutricionista. As sugestões de conduta são genéricas e não são indicadas para uma pessoa específica

      Responder
  18. Roberta

    Caio e Bruna, queria saber os líquidos que podem ser ingeridos sem interromper o jejum e se o café com manteiga e óleo de côco pode ser usado também! Obrigada!

    Responder
    1. Bruna Machado (Publicações do Autor)

      Se os mesmos forem consumidos o jejum será interrompido, no entanto desta maneira é possível obter os benefícios da cetose. Abs

      Responder
  19. Carolina

    Nossa, criei um neurônio e ele pediu para eu te falar que para vc se colocar no SEU lugar, existem os conselhos (federal e regionais) de nutrição e é claro que depois de eu ter divulgado essa aberração que vcs divulgam num grupo de mais de 5 mil nutricionistas, isso não vai ficar assim. Antes tinha pensado em criar um blog sobre como abrir sua empresa ou outro blog sobre id, ego e super ego, mas aí criei outro neurônio…hahaha.

    Responder
    1. Bruna e Caio (Publicações do Autor)

      Carolina, bom dia!

      Notei que você mandou muitas mensagens nos últimos dias. Sinceramente não li, pois parecia ser ofensivo, então pude apenas percebi sua frustração. Entendo que você não concorda com o conteúdo deste artigo, mas realmente não tive o objetivo de ofender ninguém com ele. Tenho muitos amigos nutricionistas e estudantes de nutrição e nem sempre concordamos com tudo e isso é natural e muitas vezes rende risadas! Desculpe pelo comentário reativo, mas as vezes não controlamos nossas reações mediante a ofensas e isto você pode notar também:) Tenha um bom final de semana!

      Grato,

      Caio

      Responder
  20. Rafael

    Uma ótima tarde. Primeiramente gostaria de parabenizá-los pelo excelente blog, é muito legal quando as pessoas se esforçam para produzir conteúdos de qualidade, que fogem do padrão e buscam a verdade por trás das propagandas e condicionamentos, e quando isso acontece devemos reconhecer e aplaudir.

    Comecei a fazer academia há dois meses, sou ectomorfo (biótipo magro, de difícil ganho de massa muscular e gordura), tenho 24 anos e 1,98M. Peso 85kg. Será que eu poderia ser beneficiado fazendo JI?

    Na minha dieta atual tento consumir 4 mil calorias por dia, incluindo 200 gramas de proteína,
    mas não estou certo quanto aos horários, inicialmente tentava comer de 3 em 3 horas pois achava o “correto” mas não gostei desse modelo, fico desconfortável comendo toda hora, etc..

    Qualquer esclarecimento será de grande valia, abraços!

    Responder
  21. Marcelo

    Show de bola , realmente queima gordura rapidamente mas só acho que na medida que os niveis de gordura no corpo reduzem , seria interessante reajustarmos nosso consumo calorico , porque se mantendo igual senti uma pequena perda de massa magra com o passar do tempo , acham que seria legal agir desta forma ?

    Responder
  22. luis fernando

    gostei do artigo!!
    eu gostaria de saber se o que estou fazendo esta certo?
    consumo proteina animal(frango) a noite e depois vou dormir, dependendo do dia antes de dormir ainda faço um shake com leite desnatado, albumina e aveia.
    quando acordo pela manha tomo meu termogenico, vou para serviço de bike(15 minutos de aerobico) e depois de meia hora apos chegar no serviço tomo whey com bcaa. e depois de uma hora uma refeiçao com carne de frango.
    minha pergunta é: esta rotina vai me ajudar queimar maior gordura e preservar minha massa muscular?

    Responder
  23. Karla Muller

    Bom dia, gostaría de saber se fazer atividade física em jejum é bom ou ruim para a perda de peso? Não sinto fome pela manhã e só como lá pelas 14h, obigada.

    Responder
  24. juliano

    Cortisol é um hormônio extremamente catabólico(perda de massa muscular) e nao anabolico.

    Responder
    1. Bruna e Caio (Publicações do Autor)

      Na dose certa ele ajuda no ganho muscular o contrário do catabolismo. A dose proporcionada pelo jejum de manhã geralmente =)

      Responder
  25. Felipe

    A dieta paleo/primal defende que devemos nos alimentar quando sentimos fome. Mas em alguns dias so me alimento 1 vez (almoço ou jantar; não tomo café da manhã há quase 1 ano). A minha pergunta é se há algum problema em ficar, por exemplo, 4 dias assim (tipo só almoçando). Então, há??????

    Responder
    1. Bruna e Caio (Publicações do Autor)

      Não há nenhum estudo a longo prazo demonstrando que isso é saudável, mas também não há o oposto. 2-3 refeições ao dia proporcionam melhores resultados a curto e médio prazo do que 4-6 refeições e para diabéticos ou quem tem resistência a insulina tal frequência pode ser mais promissora, contanto que os níveis de estresse e saúde intestinal continuem saudáveis. =)

      Responder
  26. Fernanda

    Bom dia. Ainda não testei fazer o JI, mas gostaria de saber se é inadequado inicia-lo após o treino de musculação/hiit. Eu praticamente não sinto fome depois de treinar, mas se como qualquer coisa, parece que meu apetite abre e acabo exagerando (mesmo nos alimentos permitidos). Meu objetivo é perder 5 kg.

    Responder
    1. Bruna e Caio (Publicações do Autor)

      Em geral não é bom ficar em jejum depois do treino. O aminoácido leucina antes do treino ou durante o jejum ajuda a evitar o catabolismo. Abs

      Responder
  27. Rodolfo

    Uma das maiores questões com as quais sempre discuti com nutricionistas é a questão da recuperação do desgaste cerebral. Todas as dietas sempre levam ao nível de bloqueio intelectual. Daí, só alimentos com glicose resolvem o bloqueio, a dor de cabeça, a falta de sono e a falta de energia para tudo. E açúcar não pode. Isto sem contar o desgaste esportivo, p.ex. Com natação, bicicleta, corrida.
    Nos tempos paleolíticos, não havia necessidade de estudar assuntos complexos e aprender em pouco tempo. E como se resolve o ganho de peso nestes casos? Mudando a sociedade e como nós somos cobrados?

    Responder
    1. Bruna e Caio (Publicações do Autor)

      Quem não está cetoadaptada, isto é adaptado a utilizar gordura corporal e dietética como fonte de energia sofre de hipoglicemia com jejum. Este processo leva entre 2 a 5 semanas, portanto não é recomendado para quem não está ceto-adaptado. Nenhum estudo foi capaz de demonstrar diminuição da capacidade cognitiva APÓS 3 semanas de Low-carb sendo que o contrário (melhora na capacidade cognitiva) acontece com frequência em certos grupos demográficos. Obrigado!

      Responder
  28. Victor

    Boa Noite!
    Estou iniciando hoje no JI e fiz 16h sem muito esforço, comi apenas na janta de ontem, almoço e janta de hoje.
    Combinei o JI com uma corrida leve pela manhã (em jejum) e senti apenas um pouco de tontura após subir 9 andares de escada, após a corrida..
    Posso fazer esse JI de 16h todos os dias ou tenho que alternar com dias com alimentação de baixa caloria?

    Muito bom seu Blog!

    Responder
    1. Bruna e Caio (Publicações do Autor)

      É preciso estar certo-adaptado. Depende do indivíduo! =)

      Responder
  29. Gabrielle f

    Oi, faço ji há mais de um mês, sinto-me muito bem, não pretendo parar. Comecei com 16h, hj faço entre 18 e 19h. As vezes, depois das 16h, se sinto fome ou fraqueza, tomo uma colher de azeite e continuo com o jejum normalmente. Minha primeira refeição é apenas proteína, depois de uma hora como normalmente. No inicio perdia muita gordura, perdi muitas medidas, bem nítida nas fotos. Mas agora, alem de parecer que ganhei de volta algumas gordurinhas, parece que elas não estão “desgrudando” de mim. Pão não como mais, mas ainda não consigo largar de vez os doces. Vou continuar o,que estou fazendo, vamos ver se eu volto como antes. Gosto de ficar em jejum, me sinto leve, “limpa”, e como estudo o dia e a tarde toda, ficar em jejum me ajuda a ter mais concentração, quando como sinto sono. Tento explicar os benéficos do jejum aqui em casa, mas ninguém consegue largar a crença de que comer de 3 em 3h é o melhor a se fazer, e ficar 3:01 sem comer o corpo ” segura” gordura aff!

    Responder
  30. Leonardo

    Boa tarde, tenho muita tendência em engordar como toda minha família, hoje tenho 1.77 cm com 120 kg. Tipo FOFO Não malado rsrsrs. Sou aquele cara que gosta de malhar mas quando saio da academia posso comer um elefante e como….. Não consigo ficar sem comer pós treino e começo a ter um aumento de peso.
    Pode até ser músculos mas logo começo a ficar doente. Vi um vídeo da BBC news sobre fasting que me chamou a atenção, eu pense e disse pq não tentar. Fiquei 2 x 12 horas sem comer em um dia e sem malhar e quase morri… muita dor de cabeça e irritabilidade. No segundo Jejum na mesma semana já foi melhor mas com muita dor de cabeça tb. Em resumo gostaria de mencionar que para mim que sou muito ocupado em um trabalho bem estressante a única forma de perder peso com melhora corporal e mais motivação é através do jejum. Gosto de fazer pelo menos uma vez por mês, pego uma semana e faço o jejum um dia sim e outro não. Como 400 calorias no meio do dia e então e como se fosse um jejum de 12 x2 horas, na semana do jejum me sinto limpo e leve com bastante foco mas tb eu adoro comer… e no outro dia após o jejum eu posso comer tudo que quiser….. uma fez fui até ao rodízio de carne…. sabe o que aconteceu? Meu estômago estava apertadinho e comi bem pouco. Meu testemunho e que para o meu biótipo só o jejum funciona. Vale a pena tentar.

    Responder
  31. Marcos Sabara

    Gostaria de relatar que faço o jejum intermitente a 3 anos, mesmo trabalhando na construção civil de dia (braçal) e dando aulas de Quimica a noite.
    Faço duas refeiçoes, almoço (11:00), nozes e castanhas a tarde e jantar leve as (19:00).
    Total de 1,3 kg de alimento por dia.
    Como:
    Carnes, ovos, legumes (exceto cenoura, batata, beterraba), verduras, frutas pobres em açucar (pouco), azeite. (uso banha no preparo dos alimentos).
    Bebo:
    Agua, cerveja (muito) e vinho (pouco).
    Não como:
    Laticínios e carboidratos exceto os contidos nos alimentos citados.
    Tenho 45 anos e 66 kilos.
    Abraçs.

    Responder
    1. Bruna e Caio (Publicações do Autor)

      Parece bom! =) A qualidade do sono está boa também? Fator crítico! Abração

      Responder
  32. Olympio L. Ferreira

    Estou fazendo IF de 16×8 há quase duas semanas e só estou vendo benefícios. Quase não senti o período de adaptação e a questão da fome é meramente psicológica (durante esse período). Faço musculação e aeróbio em dias alternados e ambos em jejum, mais precisamente nas 13h~15h. O que fiz, para não ir de encontro com as premissas de falta de glicogênio / carbo do fígado foi tomar uma dose maciça de bcaa antes de ir treinar. Estou mantendo minha massa magra, ganhando definição e a força continua a mesma, apesar do peso na balança estar diminuindo (o que provavelmente deve ser de gordura).

    Só irei me atentar a essa questão comentada de que à partir das 12h de jejum o corpo começa a perder mais aminoácidos. Acredito que o bcaa seja um bom aliado dessas 12h até a hora do treino e refeed.

    Apenas destancando um ponto, ao contrário do que TODOS pregam, eu malho pesado, bem próximo do RM (treino de força) estando em um jejum de 13h de duração e não tenho problemas, da mesma forma é no treino de aeróbio. Faço em intensidade média para alta durante 30 minutos e não sinto absolutamente nenhum problema de carência de glicose e/ou fadiga.

    Abraços

    Responder
  33. Ricardo

    Comecei a testar o jejum intermitente durante alguns dias e notei disposição e uma leve perda de gordura corporal.
    Não senti nenhum efeito como irritação, dor de cabeça, tontura ou qualquer outro sintoma.

    Aliás, consigo passar boas horas sem me alimentar e me mantenho bem.

    Resolvi testar o intermitente para verificar e o fiz por mais de 4 dias por semana.
    Aí sim notei uma leve perda muscular. Acredito por ter pulado o café da manhã por dias a mais.

    No geral, sinto uma melhora quando feito às vezes e em mim funciona bem.

    Valeu por compartilhar seus conhecimentos.

    Responder
  34. Mateus R. sousa

    Bom dia!!

    Treino logo pela manha, por volta das 7:00 com foco em ganho de massa muscular.

    Estava tomando café da manhã de 2 ovos como pré treino.

    Eu costumo jantar por volta das 18:30 e por volta das 22:00 consumo a maioria dos meus carbos, atraves de bananas e bata doce/batata/mandioca/etc…

    Que benefícios eu teria em não comer esses ovos e treinar em jejum?

    Desde já, muito obrigado pela resposta.

    Abraços!

    Responder
    1. Bruna e Caio (Publicações do Autor)

      Dois ovos antes do treino é bom em geral. Abs

      Responder
      1. Bruna e Caio (Publicações do Autor)

        7g de Leucina é uma boa também.

        Responder
        1. Mateus R. sousa

          obrigado pela resposta, mas não entendi: devo ou nao devo comer os ovos? treinar em jejum me ajudaria ou atrapalharia?

          Abcs

          Responder
          1. Bruna e Caio (Publicações do Autor)

            Se melhorar o seu perfil lipídico como ocorre com a grade maioria das pessoas sim. Abs

  35. Karen

    Olá, achei muito interessante esse assunto sobre o JI. Estou me adaptando a dieta paleo tem 3 semanas. No começo fazia 5 refeições porque tinha compulsão por doce, agora estou fazendo 2-3 refeições ao dia. Já fz jejum no período do café da manhã as 7:30 até as 16h sendo que treino as 14:30h. Não tenho risco de perda de massa muscular nesse período em jejum mesmo treinando em jejum? Gostaria de começar o JI comendo minha ultima refeição as 20h e comer apenas no dia seguinte as 8h. Treino musculação 5x na semana sempre as 14:30. Quero tentar fazer apenas duas refeições no máximo ao dia: as 8h da manhã, as 15:30h no pós treino e as 20h. Assim fazendo JI de 12h. Tenho que tomar necessariamente um BCAA antes do treino ou não? E fazendo esse JI todos os dias terei muita perda de massa muscular?
    Tenho 20 anos, 68kg e 1,66cm de altura. Meu percentual hoje é de 25%. Gostaria de perder gordura.

    Responder
    1. Karen

      Tenho uma observação: acordo todos os dias 6:45, e tomo café as 7:30. Quero ficar duas horas após ao acordar sem comer e depois tomar o café da manhã.

      Responder
    2. Bruna e Caio (Publicações do Autor)

      Se restringir muito as calorias de maneira contínua poderá ter perda muscular. BCAA antes do treino não interrompe muito o jejum. Obrigado =)

      Responder
      1. Karen

        Obrigada por responder e pela sua atenção. Não restrinjo as calorias não. Pelo que anoto consumo em torno de 1800kcal, eu controlo mesmo são os carbos por dia. Não chego a 30g de carboidratos por dia e meu consumo de gorduras é bem alto, passa de 100g. Estou cursando Nutrição, então conheço as boas fontes de carboidratos, proteínas e gorduras na dieta paleolítica. Como eu treino, o ideal seria fazer umas três refeições ao dia então?

        Responder
  36. Francismari

    Ola tenho uma duvida, desde q comecei a reeducar minha alimentação faço meus exercícios em jejum e em casa geralmente as 6:30 e começo com 25 min de T25 q e um HIIT e logo depois faço 30 min de exercícios de força, minha duvida é, isso edta fazendo com q eu perca meus músculos e nao a gordura? Oq séria melhor para o meu caso, estou na paleo a um mês mas faço meus exercícios em jejum ja ha uns 9 meses.

    Responder
    1. Bruna e Caio (Publicações do Autor)

      Oi Francismari. Depende do seu consumo protéico total da semana (ou talvez até mesmo mensal). A curto prazo uma série de estudos que você pode encontrar no blog não demonstraram perda de massa muscular mesmo diante de um consumo protéico baixo e jejum de 24h alternado por 1 semana. Com musculação a história pode ser diferente, pois há o estimulo anabólico da insulina e da síntese das proteínas.Há maior oxidação dos ácidos graxos com jejum pré-treino e até onde estou ciente não há perda muscular quando feita desta forma. Procure jejum na barra lateral do blog e se informe mais. Abraços

      Responder
  37. Aline

    Eu ficava vendo vídeos no YouTube o dia todo e não tinha fome nenhuma ai resolvi ficar sem mexer na internet por alguns dias e eu não conseguia ficar sem comer o dia todo e eu conseguia quando eu tava com o celular ai eu perssebi que eu me distraía tanto que acho que meu cérebro não tinha tempo pra pensar em comer. Sem o celular eu tentei ficar algumas horas sem comer mais quando eu ia comer eu acabava botando uma quantidade enorme de comida

    Responder
  38. Cintia

    Ola boa tarde, tenho facilidade em perde peso, acordar tarde influencia nisso? Depois q acordo so tenho fome 2 hrs depois………mim ajude a nao perde peso

    Responder
    1. Bruna e Caio (Publicações do Autor)

      Não deve influenciar muito no fato de você ter o metabolismo acelerado =)

      Responder
  39. Vitória Mesquita

    Olá, me interessei bastante pelo JI e gostaria de saber se ele é recomendado pra mim: já sou bem magra e não treino, mas sou fisicamente ativa.

    Responder
    1. Bruna e Caio (Publicações do Autor)

      Jejum não é para todos e de preferência com um acompanhamento profissional.

      Responder
  40. clarice

    Olá Caio e Bruna!

    Devido a minha rotina, só conseguiria fazer jejum de 13h. Este período já traria algum efeito no emagrecimento, ou teria que ser um período maior para obter os benefícios?

    Obrigada!!

    Responder
    1. Bruna e Caio (Publicações do Autor)

      Na perda de peso, dependerá do que e quanto se come no resto do dia. Obrigado

      Responder
  41. Felipe

    Estava indo bem, até mandar essa pérola: “Para não entrar em processo catabólico é preciso consumir fontes de proteína que possuem os nove aminoácidos essenciais, ou seja, a proteína animal, ovos, carnes, peixes e laticínios. Fontes de proteína vegetais são fontes insuficientes de aminoácidos essenciais.” —> Fontes de proteína vegetais são suficientes, sim! Não há nenhum aminoácido essencial que não esteja presente em alimentos de origem vegetal. Basta combiná-los. Simples.

    Responder
  42. João

    iniciei uma dieta de zero carboidrato e estou pensando em iniciar o jejum de 16h junto, ou seja, alimentação das 12h até as 20h, de manhã tomo suco verde e 3h depois tomo café sem açúcar, porém eu faço musculação as 6h da manhã e depois aeróbio. Existe algum risco? Posso fazer? Alguma sugestão?
    Algumas informações: tenho 34 anos, 1,83m e estou pesando 98kg

    Responder
  43. Davi

    Caramba, nem tou acreditando. Depois de varias tentativas fracassadas, derrepente venho fazendo jejum de 24 horas a 05 dias, sem fazer nenhum esforço,sem passar fome, e com uma sensação de bem estar inimaginável! Assim, do nada, o que era quase impossível, ficou fácil. Apenas almoçando todos os dias.Hoje aconteceu algo: meu intestino passou a funcionar de forma muito liquida, limpando totalmente. E sem nenhum desconforto. Estou super feliz. Só não sei se estou fazendo correto em jejuar todos os dias, mas como não sinto falta do alimento durante a abstinencia, vou levando assim.

    Responder
    1. Davi

      apenas uma ressalva: Como almoço sempre no mesmo horário, o correto seria dizer que estou praticando jejum de 23 horas.

      Responder
  44. Milene

    Oi Caio

    Estou fazer o jejum de 16h, 5 vezes na semana! Ao acordo tomo 100ml de café preto sem açucar e adoçantes!Estou com dúvidas porque alguns dizem que corta e outro não.
    Corta o jejum? Vou perder o benefício do emagrecimento tomando café preto? Obrigada

    Responder

Deixar um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comments Protected by WP-SpamShield Spam Blocker

Show Buttons
Compartilhe no Face
Entre em contato
Hide Buttons