Increva-se para receber conteúdo novo por email

Gordura saturada sobe no pódio

Um novo estudo japonês indica que níveis baixos de consumo de gordura saturada aumentam o risco de morte por AVC (acidente vascular cerebral). Os resultados sugerem que o mesmo pode acontecer com no processo aterogênico que leva a doenças do coração.

Este estudo foi uma parte do estudo coorte, sobre risco de câncer com mais de 110.000 pessoas. Destes participantes, 53.400 participantes preencheram um questionário sobre alimentação e foram acompanhados por um período de 14 anos. Este estudo é de natureza observacional e foi feito com o objetivo de observar os desfechos destes indivíduos para a progressão de doenças. gordura saturada 3

Os resultados deste estudo, alinhados a outros estudos sobre o tema, demonstram que o foco na redução da gordura saturada como fator preventivo da aterosclerose não é suportada pelos dados estatísticos. A teoria lipídica há muito tempo vem sendo questionada e colocada contra a parede devido a falta de evidências na contribuição para as doenças do coração. De acordo com os pesquisadores sobre os resultados do estudo:

gordura saturada 2v

“O consumo de gordura saturada estava inversamente associada a mortalidade por derrame. Esta associação inversa foi similarmente observada para hemorragia intraparenquimatosa e acidente vascular cerebral isquêmico”

As recomendações de 16g por dia de gordura saturada já foram questionadas pelas autoridades nutricionais, neste ano de 2015 nos Estados Unidos e a “A Academia de Nutrição e Dietética”, a maior organização mundial de profissionais de alimentação e nutrição recomendou que se tirasse a gordura saturada e o colesterol dietético da lista de preocupações para a saúde. Mais adiante, a gordura saturada dos alimentos na sua forma natural tem sido usada com muito eficiência no tratamento e na prevenção da obesidade e outras patologias crônicas associadas aos processos inflamatórios do corpo.

De acordo com a nutricionista e presidente da Academia Sonja L. Connor:


Siga o Caio Fleury no YouTube —>>> Clique AQUI


“A Academia aplaude a revisão sistemática baseada em evidências da literatura, que é vital para a avaliação da ciência da DGAC (comitê das diretrizes nutricionais)”

A academia americana, atualmente, não apenas defende não reduzir as gorduras saturadas da dieta, mas foi além e elogiou o Comitê Consultivo das diretrizes nutricionais de 2015 por terem escrito um relatório com base em provas científicas.

“Nós elogiamos o Departamento de Saúde e Serviços Humanos e o Departamento de Agricultura pelo compromisso com a biblioteca de evidência nutricional e seus esforços contínuos em reforçar a abordagem baseada em evidências para a avaliação da literatura científica para futuras recomendações dietéticas.” Disse a presidente da academia.

Voltando ao estudo em foco, demonstrando uma correlação entre os níveis baixos de gordura saturada no sangue e uma pior saúde das artérias na população japonesa, o fato dos japoneses consumirem uma dieta mais tradicional e reconhecida por muitos pesquisadores como mais saudável do que a dieta americana pode explicar porque a gordura saturada vinda através de alimentos naturais e não processados, como peixes nativos de água fria, por exemplo, são responsáveis pelo efeito supostamente protetor nesta população.

Dos mais de 14.000 japoneses observados, o consumo de 18 a 40g de gordura saturada por dia, quantidades relativamente altas, foi o teor de gordura saturada mais associado à redução das mortes por AVC. Por outro lado, o consumo de menos de 11g de gorduras saturadas por dia foi relacionado, nesta população, a uma maior incidência de derrames e a um risco quase  66% maior, enquanto quantidades mais moderadas de gordura saturada, 15 a 18g por dia de gordura saturada, foi relacionado em 20%.

Para colocar em perspectiva para os leitores do blog, em uma dieta isocalórica de 2000 calorias por dia, 18g de gordura saturada por dia representam 8.2% das calorias na forma de gordura saturada, enquanto 40g de gordura saturada por dia representam 18.2% das calorias diárias.

CTA coaching 3

E para finalizar, uma ótima notícia… Eu vou te dar de presente meu novo ebook sobre dieta low-carb e cetogênica, aproveite para baixar GRÁTIS agora —>>> clique AQUI

Quer também ficar por dentro de tudo que está acontecendo de melhor no mundo da nutrição? Aproveite AGORA para seguir meu canal do youtube —–>>> Clique AQUI para seguir meu canal do youtube.

Outra notícia boa… Você está querendo emagrecer, mas está tendo dificuldades?? Então faça o coaching de emagrecimento para perder peso com tranquilidade de um jeito que você nunca tentou antes.

Me mande uma mensagem e agende uma consulta o quanto antes 😉

                          (11) 97533-8525                               

     Atendimento personalizado – Até 10x no cartão

Inscreva-se para receber artigos como este por e-mail!

7 Comentários

  1. Bruna disse:

    Que ótimo post! Fico feliz que já podemos comentar novamente!’ Adorei

  2. Rafael disse:

    Olá, um esclarecimento se possível…

    Há 2 semanas tenho tido tontura persistente durante o dia todo. Há 3 meses tenho feito uma dieta de alta gordura(ovo, azeite, queijo, abacate, coco, manteiga, creme de leite…), alta em vegetais e legumes e moderada de carbs(ingerindo frutas, arroz e feijão, MAS NÃO INGERINDO açúcar/pão/trigo/massas e seus derivados).

    Tenho tomado 2x por dia uma caneca de creme de leite+manteiga+café, poderia ser isso a causa da tal vertigem? Alguma relação de alta ingestão de gordura ou ainda produtos derivados do leite e o sintoma de tontura?

    • Bruna e Caio disse:

      A tontura pode ter diversas raízes.

      Muita gente reporta dor de barriga ingerindo café com manteiga, ou leite. O leite não é bem tolerado por muita gente de acordo com estudos e depoimentos. Há relatos de que a manteiga batida no liquidificador com o café pode ser melhor digerida. Eu me sinto melhor com ela batida.

      Abs

  3. Carlos Augusto disse:

    seria possível incluir a fonte original desse artigo?

  4. […] apoio das empresas farmacêuticas que os pesquisadores no exterior? De modo nenhum. Por que os pesquisadores japoneses são indolentes e fracos? Não, claro que não. Por que o público japonês é cético sobre os […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

×