Dieta Low-carb funciona bem para cachorros

Por: David Jennings

low carb cachorros

Cientistas da Nestlé Purina PetCare Company descobriram que a dieta low-carb de um cão pode afetar drasticamente suas bactérias no intestino relacionadas a perda de peso. As proporções de diferentes bactérias mudam dependendo da proteína e dos níveis de carboidratos na dieta. A equipe de pesquisa acredita que suas descobertas podem ajudar a prevenir a obesidade em cães. Os detalhes estão em um artigo que acabou de ser publicado no jornal mBio.

O microbioma intestinal consiste em uma série de bactérias e outros micróbios encontrados no sistema digestivo. Muitos destes micróbios são benéficos; Os micróbios intestinais ajudam a digerir alimentos, auxiliam na absorção de vitaminas, e alguns até aumentam a resposta do sistema imunológico. Embora as funções desses micróbios já tenham sido estudadas em seres humanos, houve pouquíssimas pesquisas nos microbiomas intestinais dos animais.

Nos seres humanos, dietas são conhecidas por desempenhar um grande papel na composição do microbioma intestinal. Um desequilíbrio de micróbios pode levar a problemas de saúde, incluindo a obesidade, e esses desequilíbrios são freqüentemente associados a dietas pobres.

Uma equipe de pesquisadores realizou um estudo para determinar se a dieta teria efeitos maiores nos microbiomas intestinais de cães, na esperança de que essa informação pudesse ajudar a resolver a epidemia de obesidade de animais de estimação.

A equipe desenvolveu duas dietas: uma dieta rica em proteínas, com baixo teor de carboidratos (HPLC) e uma dieta com baixa proteína e alto teor de carboidratos (LPHC). Os pesquisadores alimentaram 32 Beagles e 32 Labradores e uma dieta básica “normal” durante quatro semanas.

Os cães foram então divididos em dois grupos, um grupo foi alimentado com a dieta alta em proteínas e baixa em carboidratos HPLC enquanto o outro grupo foi alimentado com a dieta baixa em proteínas e alta em carboidratos (LPHC). Ambos os grupos continham cães de diferentes pesos, incluindo cães com sobrepeso e obesos. Após quatro semanas, os pesquisadores coletaram amostras fecais e analisaram os microbiomas do intestino deles.

Os pesquisadores descobriram que as diferentes dietas afetaram muito os microbiomas dos cães. Os cães alimentados com uma dieta low carb (HPLC)  aumentaram o número de bactérias Clostridium hiranonis, Clostridium perfringens e Ruminococcus gnavus, mas tiveram uma diminuição na proporção de Bacteroidetes para Firmicutes. Essa dieta low-carb também foi associada a redes de genes que desempenham um papel importante na perda de peso.

A dieta alta em carboidratos (LPHC) não produziu esse efeito e os cães alimentados com as duas dietas apresentaram diferentes proporções de bactérias.

Especificamente, os cães que comeram carboidratos LPHC tinham um aumento do número de Bacteroides uniformis e Clostridium butyricum. Portanto, o time de pesquisa concluiu que a dietas tem efeitos significativos nos micróbios intestinais de cães. A dieta alta em proteínas e low-carb (HPLC) foi associada  à perda de peso e os cães que já estavam acima do peso ganharam ainda mais benefícios com essa dieta low-carb.

As descobertas da equipe sugerem que uma dieta baixa em carboidratos (HPLC)  pode ser benéfica para cães que precisam perder peso. O estudo também mostra que a dieta de um cão tem efeitos importantes em seus micróbios intestinais. Os pesquisadores planejam realizar um estudo em larga escala para entender melhor esses efeitos. Os resultados podem levar a novas formulações de alimentos para animais de estimação concebidas para perda de peso.

REFERENCIA

Li et al. Effects of the Dietary Protein and Carbohydrate Ratio on Gut Microbiomes in Dogs of Different Body Conditions. mBio (2017).

Banner 2

Deixar um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WordPress Anti-Spam by WP-SpamShield