Dica de leitura: Fat New World

Oi pessoal! Hoje vou dar a dica de um site muito bom, com excelente conteúdo relacionado à alimentação e estilo de vida, com textos bem elaborados e com referências científicas importantes. Quem não teve oportunidade de notar o site Fat New World em nossos links, hoje poderá desfrutar de alguns – dos muitos – bons posts que selecionamos! Boa leitura!

É diabético ou tem peso a mais? Pela sua saúde, faça musculação

http://www.fat-new-world.com/2011/03/e-diabetico-ou-tem-peso-mais-pela-sua.html

Veja um trecho deste artigo:

Alguns ensaios comprovam que o exercício de resistência muscular reduz os níveis de HbA1c em diabéticos (um importante indicador do prognóstico da doença), potencia a acção da insulina no músculo e aumenta a tolerância à glicose. Estes efeitos não diferem substancialmente do treino aeróbio embora os mecanismos sejam algo distintos. Uma vez que a musculação induz um incremento de massa muscular e como a sensibilidade à insulina tem uma relação directa com o tecido magro (e inversa com o adiposo), vários estudos atribuíram os efeitos benéficos da musculação à hipertrofia muscular. Sabe-se hoje que os mecanismos são bem mais complexos do que isso.
O desenvolvimento de resistência à insulina está intimamente associado a uma inflamação nos tecidos metabólicos, particularmente no tecido adiposo. A obesidade mais que duplica os níveis séricos de citocinas pró-inflamatórias que contribuem para a dessensibilização do IR aos efeitos da insulina. Vários estudos sugerem que o exercício físico atenua a inflamação crónica que deriva da obesidade. Uma primeira explicação seria a redução da gordura corporal e consequente diminuição da produção de adipocinas pró-inflamatórias. No entanto, alguns trabalhos sugerem que os efeitos benéficos do exercício são independentes da redução no peso corporal e sabe-se que uma única sessão de treino é capaz de reduzir significativamente os níveis de certos marcadores inflamatórios como o TNF-alfa e CRP

A evolução da dieta e implicações na saúde humana

http://www.fat-new-world.com/2010/12/evolucao-da-dieta-e-implicacoes-na.html

Veja um trecho deste artigo:

Tal como todas as espécies animais, nós humanos estamos adaptados às condições ambientais a que os nossos antecessores estiveram expostos. A revolução neolítica foi provavelmente o marco mais importante na história evolutiva da humanidade. Com ela veio a sedentarização, desenvolvimento da agricultura e domesticação de animais, bem como vários avanços tecnológicos e culturais inquestionáveis. Na verdade, estes “avanços” não foram mais do que uma necessidade em resposta a um ambiente em mudança. A expansão demográfica pré-Neolítica aumentou a competição pelo alimento e as lutas entre grupos rivais eram uma constante. A aglomeração em grandes clãs ou aldeamentos era extremamente vantajosa para a protecção e sustento dos povos. Após a última grande glaciação, o clima aqueceu e muitos dos grandes animais extinguiram-se ou deslocaram-se para outras paragens. Uma vez que o alimento providenciado pela Natureza era escasso, tornou-se imperativo produzi-lo. A domesticação dos animais era também mais económica do que despender tempo, energia e vidas humanas na caça. Tudo isto aconteceu há cerca de 10.000 anos, o que na escala evolutiva são meros instantes. Na verdade, dados antropométricos sugerem uma deterioração da saúde humana na transição entre o Paleolítico e o Neolítico. Foram documentadas evidências de anemias férricas, infecções ósseas, carência proteica, cáries dentárias, entre outros. Existem até dados que comprovam o canibalismo. De tudo isto podemos concluir uma carência alimentar séria e mudança para hábitos pouco saudáveis condicionados pelos constrangimentos ambientais. Para além da Revolução Neolítica, existem ainda dois pontos de viragem mais recentes que não podem ficar esquecidos. Como não é estranho a ninguém, a obesidade tem uma componente genética importante mas que só se tornou evidente após a Revolução Industrial, e especialmente patente no período que se seguiu à Segunda Guerra Mundial, marcado por um avanço tecnológico sem precedentes. Estes marcos correspondem ao inicio da produção em massa de alimento, cada vez mais processado e apelativo, de fácil acesso e relativamente barato.

Outros artigos interessantes:

http://www.fat-new-world.com/2011/06/estatura-e-saude-humana-na-revolucao.html

http://www.fat-new-world.com/2011/06/tensao-arterial-envelhecimento-e.html

http://www.fat-new-world.com/2011/06/o-stress-e-as-doencas-cardiovasculares.html

Deixar um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WordPress Anti-Spam by WP-SpamShield

Show Buttons
Compartilhe no Face
Entre em contato
Hide Buttons