Conselho de dieta para diabéticos

Por Zoe Harcomb

A famosa jornalita Nina Teicholz compartilhou de um relato interessante comigo recentemente. Ela tinha observado uma reunião pública, onde uma figura sênior envolvida nas orientações dietéticas dos EUA disseram que iriam parar de recomendar o conto de fadas  “da dieta de baixo teor de gordura”. O poder e arrogância fez com que eles claramente  tentassem fazer com que o público e profissionais de saúde acreditassem  que eles nunca emitiram  conselhos de baixo teor de gordura.

Este não é apenas um depoimento, mas sim uma estratégia. Para anunciar que eles fizeram coisas erradas poderia ser muito caro para os governos e organizações que emitiram a dieta de baixo teor de gordura e o aconselhamento dietético da dieta de alto teor de carbs durante décadas. Não poderia (e deveria) ser assim. As pessoas sofreram com a obesidade e diabetes tipo 2, sem falar de câncer, doenças cardíacas e doenças mentais, como resultado do conselho que tem sido tão estranho ao que os seres humanos evoluíram para comer.

A estratégia dessas organizações que aconselham parece ser a de mudar o conselho, de preferência com mudanças sutis repetidas que quase não são notados ao longo do tempo, até que o conselho se torna  metade  razoável e assessores possam  negar jamais terem emitido o mau aconselhamento em primeiro lugar. Isso evita  a afirmação: “nós estávamos errados”.

Uma destes sutis deslocamentos ocorreram no projeto de orientações dietéticas para americanos em 2015.

Todos esses anos demonizaram ovos e frutos do mar e nos disseram para evitar alimentos de origem animal por causa de seu conteúdo de colesterol dietético. Tudo errado. Mas não vamos dizer que estávamos errados – “vamos apenas dizer que a gordura não é mais  um nutriente de preocupação.”

Você vai encontrar o limite de 30% na gordura total, emitido em 1977. Agora ele foi embora. Sumiu. Como se nunca tivesse existido. Você não vai ouvir o conselheiro americano dizendo quão tolo estávamos em acreditar que na dieta de baixa gordura “conto de fadas”

O mesmo está acontecendo no mundo da diabetes com esta despercebida mudança sutil  – No Reino Unido é a mudança do conselho de dieta para eles:

Graças à maravilha internet, aqui está o conselho de Diabetes do Reino Unido de 18 de março de 2015.

Aqui etá a mesma página em 08 de abril de 2015 em inglês (se preferir pule a tabela):

Daily recommended amounts Daily recommended amounts
Starchy foods

(glucose)

5-14 portions

One-third of your diet should be made up of these foods, so try to include them in every meal.”

[A slice of bread is given as an example portion – a diabetic was thus advised to eat the starch equivalent of up to 14 slices of bread every single day.]

 

Try to have some starchy food, especially the wholegrain options, everyday. Carbohydrates breakdown to glucose in the blood so keep an eye on how much you eat. Depending on your diabetes treatment, and nutritional goals, you may be advised to:

• estimate the amounts of carbs you are eating

• reduce the amount of carbs you eat

• choose healthier sources

• spread your intake through the day.

Fruit & veg

(glucose & fructose)

Aim for at least five portions” (5-a-day of course!) No change
Dairy products

(glucose & galactose)

Aim for three portions …

…choose lower fat alternatives (but look out for added sugar in its place)”

No change
Pulses beans & nuts (also provide glucose) Aim for 2-3 portions”

 

Include some food from this group everyday and aim for two portions of oily fish a week
Foods high in fat & sugar “Technically, your body doesn’t need any foods in this group, but eating them in moderation can be part a healthy, balanced diet” No change

Você pode ver o sem aviso prévio, da mudança no conselho Diabetes do Reino Unido de  5 a 14 porções de alimentos ricos em amido (carboidratos) por dia, o que equivale a aproximadamente um terço de sua dieta. Agora eles dizem coma todo dia, mas você pode muito bem precisa reduzir a ingestão de carboidratos.

 Isso é bom. Não me interpretem mal. Mas ainda não é o suficiente. A peça chave do conselho deve ser “comer comida de verdade” e escolher o alimento com base nos nutrientes que ele oferece e assim as pessoas poderão naturalmente escolher carne, oleaginosas, peixe, ovos, laticínios, vegetais sem amido e algumas sementes.

Cinco porções ao dia deve ser descartada

1) por não ser baseada em evidências e

2) porque alimentos ricos em amido são essencialmente açúcar (com muito menos nutrientes do que as pessoas pensam) e açúcar não vai ajudar os diabéticos.

No entanto – é um começo – um movimento na direção certa.

O que me irrita é que embora eles não tiveram a decência de dizer “nós estávamos errados; pessoas advocando as dieta de baixo carboidrato estavam certos e lamentamos por nosso erro “.

Felizmente para mim, tudo o que tenho é aborrecimento. Aqueles que têm seguido as 5-14 porções dos conselhos de amido provavelmente vão provavelmente ter problemas muito mais graves a enfrentar.

banner livro

Deixar um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WordPress Anti-Spam by WP-SpamShield