Como viver mais de 110 anos com a dieta Primal

Há muito tempo acompanho a vida de Bernando LaPallo, o homem mais velho dos EUA. Leio sobre ele e escuto suas entrevistas e palestras. Este é um indivíduo único e uma pessoa muito interessante, que tem muito a nos oferecer com sua sabedoria e história de vida, por isso, achei muito interessante contar sua história para os leitores do Primal Brasil.

Bernando nasceu em 1901, atualmente é o homem mais velho dos Estados Unidos. Para a surpresa de muitos ele é brasileiro, mas se mudou com sua família para os Estados Unidos quando tinha 5 anos de idade. Ele viveu em Nova York a maior parte da sua vida, mudando-se para a cidade de Mesa, no Arizona, mais recentemente.

Aos 107 anos de idade publicou seu primeiro livro chamado “Envelheça menos e viva mais: Alcance saúde e vitalidade aos 107 anos e além”. Atualmente ele está trabalhando em seu segundo livro (com 112 anos!)

bern2

Com 112 anos atualmente, ele não mostra sinais de que vai muito cedo e acredita que pode viver bem por mais de uma década sem problemas de saúde. Em suas entrevistas comenta bastante o fato de que, durante sua juventude, doenças crônicas e degenerativas como doenças cardíacas diabetes, câncer e Alzheimer eram desconhecidas pela população geral e a morte pela “velhice” era muito mais comum do que hoje em dia.

LaPallo credita sua longa vida e boa saúde ao conselho de seu pai, que lhe disse:

“ a saúde deveria ser sua primeira prioridade, e para conseguir isso, você deve se alimentar adequadamente e… manter seu cólon limpo, acima de tudo”

Diz que basicamente faz isso principalmente comendo bastante vegetais e frutas, evitando açúcar e porcarias processadas, dormindo bem e reduzindo o estresse. Segundo ele, nunca ficou doente durante toda sua vida adulta e não se lembra de como é se sentir assim.

Atividade física

Bernando, ao longo das últimas décadas, adota como principal forma de atividade física a caminhadas diárias e alongamento. Atualmente caminha de 2 a 4 km por dia (com 112 anos de idade!!) o que considera essencial para a sua saúde física e mental. Também costuma fazer massagens terapêuticas frequentemente.

Horário das refeições

Bernando caminha todos os dias em jejum antes de tomar o café da manhã e considera essencial fazer jejum pela manhã, de modo a tomar café da manhã somente depois de algumas horas desperto. Ele considera esta prática essencial para controlar seus níveis de glicose sanguínea. Também costuma consumir sua última refeição algumas horas antes de dormir.

Alimentos que mais consome:

  • Mirtillo (blueberry)
  • Peixes de água fria
  • Azeite de oliva
  • Alho
  • Canela
  • Brócolis
  • Repolho
  • Feijões (deixados de molho durante a noite e no dia seguinte cozido e temperado em baixa temperatura sem azeite ou qualquer oleo)
  • Abacate
  • Melão Cantalupo
  • Chocolate rico em cacau

Outros pratos e alimentos que também consome diariamente:

  • Peixes de água fria cozidos à vapor com brócolis e vegetais.
  • Salada de fruta com bluberry
  • Sopa de feijão ou lentilha (deixados de molho durante a noite e no dia seguinte cozido e temperado em baixa temperatura sem azeite ou qualquer óleo)
  • Banana
  • Suco verde (folhas verdes batido com outros vegetais ex: cenoura beterraba e maçã)
  • Oleaginosas frescas (deixadas de molho na água durante a noite)
  • Torrada com manteiga de amendoim, que embora consuma extremamente pouco, consome quase que diariamente (alimento não recomendado e que não faz parte da dieta Primal)

O azeite chamado carinhosamente por ele de “ouro líquido”, é consumido em abundância e também usado como hidratante para a pele. Bernado aos 112 anos de idade tem uma pele macia e brilhosa, sem manchas e poucas rugas, fazendo que ele aparente ser muito mais jovem do que é realmente. A saúde da sua pele, segundo ele, é devido a alimentação e ao uso diário do azeite na pele como hidratante.

Benefícios dos alimentos crus e cozidos em baixa temperatura

Outro elemento chave em sua dieta é que ele consome cerca de metade da suas calorias na forma de vegetais e boa parte deles é consumido de forma crua e a outra parte é cozida na água ou à vapor, em baixa temperatura. Ele não chega perto de alimentos processados, não consome açúcar e consome somente pequenas quantidades de grãos germinados e cozidos, o que diminui a carga glicêmica do alimento, seu nível calórico, quantidade de antinutrientes como o ácido fítico, lectinas e exorfinas, tornando-o mais propício para consumo.

Alguns dos efeitos nocivos de cozinhar alimentos em alta temperatura e por muito tempo são:

– Criação de substâncias tóxicas e subprodutos. Quanto maior a temperatura de cozimento, mais toxinas são criadas. (5,6,7,8)

– Altera e destrói nutrientes essenciais, como vitaminas, minerais e aminoácidos (embora cozinhar em baixa temperatura em muitos alimentos aumenta a quantidade de certos nutrientes e o perfil vitaminas e minerais de maneira positiva)

– Altera o perfil das bactérias da flora intestinal (Principalmente as bactérias putrefativas), de modo a diminuir a população das bactérias da flora intestinal benéficas, podendo causar um aumento na permeabilidade da mucosa intestinal.

Exemplos de alimentos muito saudáveis que podem ser consumidos na forma crua: gema de ovos, óleo de coco, azeite de oliva, abacate, sashimi, manteiga (se você conseguir encontrar no Brasil uma manteiga feita de leite cru) vegetais como folhas escuras, cenouras, beterraba, frutas, entre outros.

sashimi

Um bom conselho para quem quer ter melhor saúde e perda de peso é que alimentos crus constituam boa parte de sua dieta. Este é um dos meios mais eficientes para a perda de peso rápida e duradoura junto com a eliminação dos grãos e do açúcar!

Para quem acredita que as pessoas estão geneticamente fadadas a desenvolverem doenças influenciadas pelos genes, Bernando disse em seu livro:

Muitas pessoas acreditam que são seus genes, herdados de seus pais, que mais determinam o quanto você vai viver e que tipo de doenças irá ter. Estes pensamentos levam ao sentimento de ausência de poder e complacência, como se tudo estivesse escrito em pedra e não pudesse ser mudado. Embora seja verdade que os genes tenham seu papel nestes aspectos, numerosos estudos tem demonstrado que a maneira que nós pensamos, o ambiente em que vivemos, nossa dieta e outras escolhas do estilo de vida são muito mais influentes no que diz respeito ao riscos de doenças e saúde em geral. Mas meu filho, que fez parte da mesma piscina genética do que eu, não escutou meus conselhos sobre dieta, pensamento e exercícios e faleceu em 2002, com 78 anos.”

Em suas entrevistas, costuma enfatizar a questão dos genes fazendo a seguinte analogia:

Bons genes podem colocar seu pé na porta, mas as escolhas que você faz na sua vida é o que a empurram e fazem a porta se abrir. Quando se trata de uma qualidade de vida a longo prazo, você tem mais controle do que imagina”

Bernando viu o suficiente para ver seu filho e diversos amigos morrerem, todos os quais gabavam-se por estarem consumido sanduíches, refrigerantes e sobremesas e achavam o comportamento de Bernando excêntrico. Enquanto isso, Bernando costumava se ater ao seu chá ou se ausentava destas reuniões sociais que envolviam o consumo destes alimentos.

Hoje em dia ele enfatiza com convicção “Agora estão todos mortos!” e completa dizendo que Isso é o que acontece quando nos ausentamos de Deus e o alimento verdadeiros que ele nos fornece”

Estresse

Bernando dá grande importância ao controle do estresse, o que considera essencial para sua longevidade, pois o estresse pode ser um grande responsável pela pressão alta, problemas cardíacos, diabetes, dores de cabeça, artrite, asma, distúrbios do sono, problemas de pele, problemas de peso e é claro, depressão e ansiedade.(1,2,3)

Segundo Bernando, a habilidade de reconhecer o estresse é uma habilidade valiosa, que pode claramente além de somar mais anos em nossas vidas, pode acrescentar mais vida a nossos anos!

bernan ny

Bernando em Nova York, em 1995, com 95 anos!

Bernando consome uma dieta moderada em carboidratos assim como nossos ancestrais consumiam, dependendo da estação do ano e do nicho ecológico ao qual se encontravam em determinado período, e segue um padrão de alimentação similar a muitas populações indígenas tropicais como os Kitava da Polinésia Francesa, os Kuna do Panamá e os Índios Brasileiros.

Talvez não enfatizemos suficiente o fato de que a dieta Paleo não se resume a limitar o consumo de carboidratos, apesar de uma dieta paleo poder ser low-carb (menos de 20% das calorias como carboidratos) se for conveniente, ou mais adequado as necessidades do organismo da pessoa, como muitas populações isoladas de climas mais temperados consomem.

Da mesma forma é muito bem possível assim como Bernando consumir uma dieta paleo moderada a alta em carboidratos, contanto que o consumo destes carboidratos sejam provenientes de fontes saudáveis, similar ao de populações mais tropicais isoladas, todas as quais gozam de saúde esplêndida, vigor físico exuberante e não exibem sinais de doenças crônicas e degenerativas.

Estes carboidratos possuem uma baixa carga glicêmica (apesar de poderem ter índice glicêmico alto) são proveniente de fontes como vegetais, tubérculos e frutas, que estão relacionados a melhora da saúde e a perda de peso e estão associados ao controle da glicose sanguínea. (4)

Segundo Bernando em seu livro, manter a fé em Deus e o otimismo é essencial para a saúde e cita alguns estudos em seu livro a esse respeito. Para finalizar segue uma grande mensagem de Bernando:

 

Não deixe que a vida seja algo que apenas aconteceu a você – Seja o dono do seu próprio nariz!”

 

bern

Banner1

7 Comentários

  1. Hudson

    Bruna, excelente seu artigo, parabéns! De onde tirou essa entrevista? gostaria muito de ler o original para saber mais informaçoes sobre essa figura.
    Grande abraço!

    Responder
    1. Bruna Machado (Publicações do Autor)

      Obrigada! Foi o Caio que escreveu, ele usou como referência o livro do Bernando, entrevistas, palestras e também algumas referências que estão no artigo! ABss

      Responder
  2. Jussara

    História fantástica, um exemplo e tanto para todos nós! Acho que envelhecer só vale a pena quando temos saúde, quando mantemos nossas funções cerebrais e motoras, quando temos autonomia. Espero ter sabedoria, paciência e perseverança para me manter no estilo de vida páleo/primal, e assim adquirir maior qualidade de vida e envelhecer com saúde.

    Primeira vez que comento, mas já leio o blog há algum tempo. Parabéns pelo trabalho de vocês e pela divulgação da dieta primal!

    Responder
  3. Jorge Aramuni

    Eu gostaria de comprar o livro dele, de preferência na linguagem original em que foi escrito (creio ser o inglês). Vcs tem um link para comprar?

    Responder
  4. Polly

    Ótimo artigo, muito animador!
    É isso que eu procuro para a minha vida, envelhecer com saúde e sem ficar velha.

    Responder
  5. Daniel Gil

    Caio, penso que há uma correção a fazer na frase “Bernando consome uma dieta moderada a alta em carboidratos assim como nossos ancestrais consumiam”. Não seria “moderada a baixa”? Abraço

    Responder
    1. Bruna e Caio (Publicações do Autor)

      Isso moderada. =) Alta na proporção dos macronutriente e moderada em termos absolutos.

      Responder

Deixar um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WordPress Anti-Spam by WP-SpamShield