Como fica o colesterol na dieta low-carb

Por: Dr.Michael Eadesimagem exames

A pergunta mais comum que recebi através de comentários neste blog e e-mail é como reduzir os níveis de colesterol ruim. As pessoas que fazem essa pergunta geralmente receberam um exame elevado de colesterol de um tipo ou outro e ouviram o pronunciamento de seu médico: você precisa tomar remédio.

O engraçado é que a maioria das pessoas que me perguntam esta pergunta provavelmente leram mais do que seus próprios médicos têm lido sobre os remédios como estatinas. Eles não querem começar a tomar uma droga cara com muitos efeitos colaterais e até mesmo o potencial de causar a morte.

Mas, eles também não querem confrontar seu médico.

Eles acham que a melhor maneira de lidar com a situação é buscar outra maneira de diminuir o colesterol, assim seus médicos não falarão mais sobre as estatinas. Geralmente eles cortam a gordura da dieta ou fazem algo totalmente diferente, como aderir uma dieta baixa em carboidratos. Eles voltam aos exames alguns meses depois, esperando resultados significativamente melhorados, mas muitas vezes encontram seus níveis de colesterol ainda maiores.

Isso geralmente não é um problema.. Muito pelo contrário.

E quando há problemas, existe uma solução.

Caso você não seja uma das pessoas nessa situação, deixe-me dar um exemplo do que esses e-mails se parecem. Aqui está uma mensagem que recebi alguns dias atrás de um dos poucos colegas de escola do ensino médio que mantenho.

 “Olá

Espero que tudo esteja bem com você. Eu não recebi testes de sangue bons hoje e meu médico ​​diz que tem que ser genético e quer que eu tome  a droga estatina. Você pode me passar informações sobre um possível caminho através de dieta? Ou devo tomar a estatina Estou procurando por alguma informação alternativa. Obrigado.

Ela anexou seus exames do laboratório:

Colesterol total 303 mg / dL

LDL colesterol 213 mg / dL

HDL colesterol 75 mg / dL

Triglicerídeos 76 mg / dL

A médica dela deveria saber que as estatinas nunca mostraram qualquer diminuição na mortalidade por todas as causas em mulheres de qualquer idade.

Ela deveria saber que um colesterol maior em uma mulher, na idade dela, se correlaciona com maior longevidade.

Ela deveria ter percebido que uma boa parte do colesterol total da minha amiga era composta de colesterol HDL, que é o chamado colesterol bom.

Mas ela ficou cega ao ver o colesterol total 303 e os níveis de colesterol LDL 213 da minha amiga.

Então, ela se irritou, disse que era genético e prescreveu uma estatina.

Existe uma solução fácil

Um engenheiro chamado Dave Feldman, que, usando uma abordagem de engenharia, provavelmente descobriu o caminho para você deixar seu colesterol como uma pedra.

Sem drogas.

Com mudanças na dieta apenas. Veja seu depoimento:

“Eu era um engenheiro durante vários anos antes de ir à faculdade de medicina. Surgiu um grande medo de colesterol na década de 70, no momento em que realmente começou essa febre. Desde quando comecei a clinicar, a maioria dos meus pacientes tiveram normalização do colesterol elevado com a dieta low-carb. Nem todos, mas muitos. Eu me perguntei sobre aqueles que não tiveram seus níveis de colesterol reduzidos (ou realmente aumentaram), e eu prestei atenção neles como um falcão. Quanto mais pessoas eu tratava e quanto mais eu estudava o colesterol, menos preocupado eu me tornava com leituras laboratoriais elevadas.”

Dave Feldman chegou a esta conclusão de uma perspectiva diferente: seus próprios níveis de colesterol extremamente elevados. Consequentemente, ele estava altamente motivado a fazer uma auto-experimentação e recrutar algumas outras pessoas para o seu próprio estudo. Ele teve resultados incríveis com as outras pessoas que tentaram sua fórmula.

Uma experiência típica de colesterol

 

Vamos dar uma olhada em um conhecido jornalista que, apesar de seguir o que considerou equivocadamente uma “dieta perfeita”, fez subir o colesterol ruim no sangue (notem que foi o colesterol “ruim”). Esta é uma pesquisa que eu escrevi sobre os ensaios de colesterol e as tribulações de Jane Brody, o colunista de saúde para o jornal New York Times.

Ela fez o que quase todos fazem nessa situação. Ou seja, comeu menos gorduras e mais carboidratos… Ela tentou ser boa e ainda melhor. E tudo o que aconteceu foi que seus níveis de colesterol ficaram ainda maiores.

Agora você sabe por quê o colesterol “ruim” dela subiu e não o “bom”… Carboidratos são os culpados.

No entanto, na dieta low-carb, geralmente o oposto acontece.

Há uma melhora no colesterol bom HDL, e é por isso que o colesterol total as vezes aumenta… Mas isso é ótimo!

Se algum médico é desenformado provavelmente ele nem iria notar um aumento do colesterol “bom” HDL como no caso da história da minha amiga e ia achar que o risco cardíaco da pessoa aumentou. Isso é um total equivoco que acontece com muita frequência atualmente, infelizmente.

E quando o suposto LDL “ruim aumenta’”, isso também pode ser algo bom quando há redução do verdadeiro colesterol ruim, os triglicérides… Pois o tão chamado colesterol “ruim” LDL, na maioria das vezes é um colesterol BOM com a low-carb, não ruim.. Isso ocorre especificamente quando o verdadeiro colesterol  ruim “triglicérides” são reduzidos devido a dieta low-carb.

O contexto individual do paciente que determina.

Essa é a fonte de confusão de muitos e muitos médicos desenformados.

Infelizmente a maioria dos médicos não aprenderam isso ainda, o que é ruim para os pacientes e uma vergonha.. Contudo, ainda há esperança de que isso mudará um dia e pacientes sejam realmente  beneficiados sempre, ao invés de prejudicados.

banner livro

Deixar um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WordPress Anti-Spam by WP-SpamShield