Como a dieta cetogênica pode enfraquecer o câncer

Por: Dr. David Jockers 

piramide-cetogenica

As doenças crônicas continuam devastando o nosso mundo de hoje, apesar dos enormes avanços nos cuidados de saúde. As abordagens terapêuticas para o tratamento deste sofrimento de grande alcance não podem ser atendidas completamente pelo crescimento tecnológico em farmacologia, terapia genética ou cirurgia.

Deve ser óbvio que a solução real para o tratamento de câncer e doença não é encontrada em uma pílula feita pelo homem, mas sim é encontrada na regulação das funções metabólicas dentro dos nossos corpos.

As culturas ocidentais hoje desfrutam de uma dieta rica em alimentos que nossos antepassados ​​não consumiram regularmente, como grãos, açúcar e amido em excesso. As pesquisas continuam mostrando que o açúcar é a principal fonte de combustível que alimenta o câncer e contribui para um ambiente inflamatório no corpo. O açúcar sanguíneo elevado aumenta essencialmente o risco de câncer e diversas doenças.

Como funciona a dieta cetogênica

 

O que é a dieta cetogênica?

Os esquimós e o grupo Masai são culturas que muitas vezes olhamos para saber como o escasso consumo de carboidratos é refletido em seus corpos através de condições climáticas adversas. Acontece que suas dietas com baixo teor de carboidratos alterou o metabolismo deles para queimar gordura em vez de açúcar ou glicose.

Isso criou um estado metabólico conhecido como cetose, um processo em que o corpo queima cetonas para produzir energia, em vez de depender de açúcar ou carboidratos.

As cetonas são metabolizadas por ácidos graxos no fígado para obter energia. (Esta fonte de combustível é capaz de atravessar a barreira hematoencefálica e é uma excelente forma de energia para os neurônios). Quando o corpo não tem glicose, que é a sua primeira fonte de combustível, as cetonas são criadas na sua ausência.

A cetose foi um processo benéfico que o corpo humano desenvolveu como uma adaptação aos momentos em que o alimento não estava disponível (como para esses caçadores-coletores). No entanto, você pode efetivamente produzir cetonas também, limitando os carboidratos em sua dieta a menos de 80 gramas diárias e consumindo não mais que 1,2 gramas de proteína por kg de peso corporal.

À medida que o corpo se adapta ao uso do metabolismo de corpos cetônicos ao longo do tempo, o hormônio no fígado que é essencial para o metabolismo destes corpos cetônicos (conhecido como FGF21) torna-se mais eficiente.

A dieta cetogênica pode matar certos tipos de câncer

 

Otto Warburg foi um biólogo celular líder que levou à descoberta de que as células cancerosas são incapazes de florescer usando energia produzida a partir da respiração celular, mas sim através da fermentação de glicose. Dr. Thomas Seyfried e outros pesquisadores do câncer concordam, e descobriram ainda que as células cancerosas também são alimentadas a partir da fermentação do aminoácido glutamina.

Com dietas cetogênicas, a diminuição dos carboidratos reduzirá seus níveis de glicose, o combustível que alimenta as células cancerígenas. Isso colocará seu corpo em cetose e ajudará a esgotar as células cancerígenas do seu suprimento de energia.

As células cancerosas são diferentes das células normais de muitas maneiras, mas um dos seus traços que é mais exclusivo diz respeito aos receptores de insulina. Elas têm dez vezes mais receptores de insulina na superfície celular. Isso permite que as células cancerosas aproveitem toda a glicose e nutrientes provenientes da corrente sanguínea a uma taxa muito alta. À medida que você continua a consumir glicose como sua principal fonte de nutriente, as células de câncer poderão continuar a prosperar e se espalharão. Não é surpresa que a menor taxa de sobrevivência em pacientes com câncer esteja entre aqueles com níveis de açúcar no sangue mais elevados.

As células cancerosas tem mitocôndrias danificadas e não têm a capacidade de criar energia a partir da respiração aeróbica. Eles não podem metabolizar ácidos graxos para obter energia. Por esta razão, as células cancerosas prosperam em ambientes empobrecidos de oxigênio. Em vez disso, as células cancerígenas metabolizam a glicose e os aminoácidos. A restrição de glicose ou a glutamina de aminoácidos é essencial para privar o câncer.

Jejum intermitente e prevenção do câncer

 

A dieta cetogênica é particularmente eficaz quando combinada com períodos de jejum intermitente. O jejum aumenta a produção de cetonas e pode privar células cancerígenas de combustível.

Na dieta moderna de hoje, lanches e refeições nos fazem comer até cinco vezes por dia, evitando qualquer tipo de jejum celular intermitente. Como a nutrição é constantemente fornecida, os níveis de açúcar no sangue permanecem elevados, os níveis de insulina permanecem elevados e a fonte de combustível necessária para que as células cancerosas se desenvolvam e cresçam continua a ser uma ameaça constante. Um estilo de vida de jejum pode significar que um indivíduo coma por um período de apenas 4-8 horas em um dia. Um jejum de 20 horas pode envolver comer comida entre as 15h e as 19h todos os dias.

Esse estilo de jejum intermitente regular permite que o corpo produza cetonas para alimentar todo o corpo. O jejum de 20 horas pode ser bom para indivíduos com diagnóstico de câncer. E em indivíduos saudáveis um período de jejum de 16 a 18 horas algumas vezes na semana pode ajudar a conquista de um estado metabólico mais saudável.

A dieta cetogênica consiste em um plano de refeições centrado em gorduras saudáveis:

  • abacate
  • óleo de coco
  • manteiga
  • sementes e nozes
  • azeite extra virgem
  • ovos

A dieta também permite vegetais com baixos carboidratos, tais como:

  • couve-flor
  • repolho
  • aipo
  • vegetais verdes
  • espinafre
  • Couve de Bruxelas
  • espargos
  • brócolis
  • couve

As fontes de proteína em uma dieta cetogênica geralmente provêm de:

  • carne alimentada a pasto
  • aves
  • peixe e frutos do mar
  • laticínios fermentados
  • laticínios integrais

Dietas muito ricas em proteína também podem alimentar o câncer, uma vez que já foi instalado apenas. Por isso, cientistas testaram uma dieta de proteína moderada na dieta cetogênica, para enfraquecer as células cancerosas.

A dieta cetogênica consiste em uma abundância de gorduras saudáveis ​​(cerca de 70-80 por cento gorduras), apenas 20 por cento de proteína e não mais de 5 por cento de carboidratos.

Mais detalhes

 

Por exemplo, um homem que pesa 70 kg deve consumir 30-50g / dia de carboidratos e menos de 80g/ dia de proteína para manter um ótimo estado de cetose.

Isso é fácil de acontecer quando apenas duas ou três refeições são consumidas no dia consistindo em alimentos cetogênicos.

A concentração ideal de açúcar no sangue para o enfraquecimento das células cancerosas está entre 60-70 mg/ dl e os níveis de corpos cetônicos são recomendados entre 4-7mM.

Ao praticar a dieta cetogênica, alguns profissionais recomendam complementar com multivitamínicos e omega-3

A suplementação de Omega-3 foi considerada vantajosa para estimular os efeitos anticancerígenos da dieta cetogênica.

FIM

——-

Comunicado:

Venho a esclarecer que esse post não pretende substituir as orientações de se médico.

banner livro

Deixar um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WordPress Anti-Spam by WP-SpamShield

Show Buttons
Entre em contato
Hide Buttons