Mitos sobre a dieta cetogênica

Por: Amy Berger

Reivindicações sobre os níveis de corpos cetônicos no corpo ideais estão sendo espalhadas por ai. Aprenda a separar a verdade do mito! A verdade é que não existe uma fórmula perfeita para todo mundo.

“Seu corpo não é uma conta bancária, é um laboratório de química..” – JJ Virgin, CNS

Se você estiver seguindo uma dieta cetogênica por um tempo, ou passou algum tempo frequentando fóruns e blogs dedicados a esta maneira de comer, você provavelmente descobriu agora que a nutricionista JJ Virgin acertou em cheio: O corpo humano não é uma conta bancária, onde você pode fazer depósitos ou saques precisos e saber exatamente o que o seu saldo será depois.

Se fosse assim tão simples!

As histórias de sucesso  em diversos blogs e fóruns sobre a dieta cetogênica parecem ter algo que deve ser bastante óbvio: as pessoas são diferentes. (Chocante, eu sei!) Duas pessoas com o mesmo peso, idade e sexo podem comer o mesmo número exato de calorias, em exatamente as mesmas proporções de macronutrientes, e até mesmo comer os mesmos alimentos exatos e ainda assim produzir níveis de corpos cetônicos diferentes e obter resultados de perda de gordura e peso totalmente diferente.

A existência generalizada de mitos de dietas, inclusive mitos da dieta cetogênica pode fazer com que novos adeptos tenham maiores dificuldades em se adaptar e prosperar do que deveria ser. Saiba a verdade sobre estes quatro mitos comuns da dieta cetogênica para te acalmar e colocar tudo em perspectiva.

Mito 1: Maiores níveis de corpos cetônicos levam a uma perda de peso maior e mais rápida.

 

Se há um mito que eu desejo que uma morte ardente e dolorosa é este. Por que? A produção de cetonas é o RESULTADO de lipólise (quebra de gordura) – não a CAUSA direta da perda de gordura.

Para refutar ainda mais esta afirmação errônea, pense nisso: É possível ter níveis elevados de corpos cetônicos e ganhar gordura corporal. Sim, você poderia se entupir de maionese junto com seu hamburger té atingir o consumo diário de 8.000 calorias por dia e estar em cetose. Na realidade isso é muito difícil de acontecer, mas eu aposto que você ganharia peso.


Perda de gordura não vem de estar em profundo estado de cetose; se trata de escolher os alimentos certos nas quantidades certas e consistentemente se envolver em outros comportamentos de perda de peso saudáveis:

Nota: Pode haver razões legítimas para visam deliberadamente aumentar nos níveis de corpos cetônicos produzidos, mas optimizar a composição corporal não é necessariamente um deles. Níveis superiores de cetonas produzidos pode ser benéfico para pessoas que seguem uma dieta cetogênica como terapia médica, para condições neurológicas e para uma variedade enorme de pessoas que querem perder peso , mas não é mágico para todo mundo..

Muitas pessoas se beneficiam mais simplesmente mantendo estes níveis mais baixos, mas ainda assim consumindo uma dieta rica em gordura.

MITO 2: um nível de sanguíneo de cetona de 1,0-1,5 mmol/ L não é suficiente

 

Em uma palavra: Falso.

Como acabamos de discutir, mais cetonas não significam necessariamente mais perda de gordura, por isso não há razão para se sentir “envergonhado” se alguém no seu feed de mídia social posta regularmente selfies com níveis de mais de 2,5 mmol / L.

Estado metabólico Níveis sanguíneos de cetose (BETA-OHB, MMOL/L)
Dieta mista 0.1-0.2
Jejum de uma noite em dieta mista < 0.5
Cetose nutricional 0.5-5.0
Cetose terapeutica 2.0-7.0
Jejum muito longo/ fome 5.0-8.0
Cetoacidose diabética 15-25

 

Em condições normais, as pessoas saudáveis ​​que consomem uma dieta mista (ou seja, com carbs), as cetonas no sangue são tipicamente muito baixas, na casa de 0,1-0,2 mmol / L.

Mesmo depois de uma noite de jejum, os níveis raramente ficam acima de 0,5 mmol / L.

Mesmo se os seus níveis de sangue de corpos cetônicos sejam apenas 1.0, isso ainda é 10 vezes maior do que alguém que não segue uma dieta cetogênica, que é a prova de que você está se alimentado principalmente com gordura como fonte de energia.

E voltando a afirmação de que toda “as pessoas são diferentes” : Há um monte de variação interpessoal na capacidade de gerar cetonas. Embora você possa comer e treinar da mesma forma como seu amigo, é altamente improvável que você vai ter uma produção de corpos cetônicos similar. É a vida…

MITO 3:  Os seus níveis sanguíneos de glicose são um indicador direto de seus níveis de cetonas.

 

Na cabeça de algumas pessoas,  a intrinca relação entre a insulina, os níveis de glicose no sangue, e os níveis de cetona deve reproduzir-se como a seguinte: Uma redução significativa na ingestão de hidratos de carbono mantém a glicose no sangue reduzida, e como resultado, a insulina relativamente baixa. Com o tempo, a produção de cetonas é aumentada como uma adaptação. Faz sentido, então, assumir que quanto mais baixo estiver o nível de sua glicose no sangue, maior será os níveis de cetonas. Em um mundo perfeito … Infelizmente, o corpo humano nem sempre funciona da maneira que seria de esperar de tais pressupostos.

Há inúmeros fatores que influenciam a glucose no sangue, insulina e níveis de corpos cetônicos. Isso pode ter a ver com nuances de sensibilidade individual à insulina, bem como os níveis de ácidos graxos como combustível. As escolhas alimentares, stress, hábitos de sono, e de sincronização de nutrientes são fatores importantes que vêm imediatamente à mente.

Por exemplo, algumas pessoas podem ter uma glicemia de algo em torno de 90 mg/ dl  e ainda ter uma beta-OHB de 2.0 ou 3.0. Outros quase nunca irão ter beta-OHB acima de 2,5, ou apenas depois de um rápido momento quando os níveis de glicose descem para os 65 ou 70 mg/dl (3.8-4.2mmol / l) – e talvez nem assim.

Se você tem um medidor de cetonas, considere  brincar com ele por um tempo para ver como as coisas funcionam em seu próprio corpo; você pode ser surpreendido.

MITO 4 Quanto mais escuro (roxo) seu marcador de cetose de urina, melhor.

 

Roxo escuro não é ruim, é claro, mas se suas tiras tendem a ser ainda apenas rosa clara, isso não significa que você está ” fazendo errado. ” Qualquer mudança de cor em tudo é uma evidência de que seu corpo está produzindo (e excretando) cetonas. E lembre-se, um número maior de cetonas não significa que você vai ver o seu abdomen tanquinho amanhã. Além disso, um roxo muito escuro pode até dizer que você está levemente desidratado e que deva ser mais consciente em sua ingestão de água. O marcador de cetonas de urina não é preciso, contudo.

  Mito 5: A dieta cetogênica é boa pra todo mundo.

 

Tudo isso dito, é questionável se há muito mérito no teste de corpos cetônicos para todas as pessoas, principalmente o de urina. Para as pessoas que usam dieta cetogênica para gerir as condições médicas de outra forma intratável, utilizar os medidores para adaptar suas dietas para melhores resultados é uma boa. Para quem de adaptou bem a dieta cetogênica como gestão da diabetes ou para melhor saúde e composição corporal e obteve ótimos resultados de saúde, não tem o que falar. Mas quando se trata de metas de composição corporal, usar unicamente os medidores de cetonas como referência pode ser ineficaz e simplesmente adicionar mais stress e ansiedade sem gerar resultados.

Saiba mais sobre a dieta cetogênica na prática:

banner livro

Deixar um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WordPress Anti-Spam by WP-SpamShield